Repórter Entre Linhas

Cearense “Inferninho” leva quatro prêmios no For Rainbow. Conheça os vencedores

Yuri Yamamamoto em cena de ‘Inferninho’

O For Rainbow – Festival de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual encerrou a 12ª edição nessa terça-feira, 27, após sete dias de programação e recorde de público. 24 filmes disputaram o Troféu Elke Maravilha, produzido pelo artista plástico Germano Santos.

O longa “Tinta Bruta“, de Filipe Matzembacher e Márcio Reolon, saiu com cinco prêmios. O cearense “Inferninho“, de Guto Parente e Pedro Diógenes, levou quatro prêmios, incluindo o de Melhor Longa-metragem Brasileiro pelo júri da crítica.

A edição ainda foi marcada pela estreia do Prêmio João Neri, para reconhecer produções que abordem a militância LGBT e o reflexo na sociedade. O curta-metragem documental “Aqueles Dois“, de Émerson Maranhão, foi o premiado.

Cerca de mil pessoas por dia prestigiaram o evento, com programação formada por filmes, shows, exposição, performances, debates e lançamento de livro, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

Veja a lista completa de vencedores

– Melhor filme de ficção longa e média-metragem: “Rafiki”
– Melhor longa-metragem documentário: “Fabiana”
– Melhor curta-metragem de ficção nacional: “Do Outro Lado”
– Melhor curta-documentário nacional: “Afronte”
– Melhor curta-metragem estrangeiro: “A tempestade”
– Melhor direção: Wanuri Kahiu por “Rafiki”
– Melhor roteiro: Filipe Matzembacher e Márcio Reolon por “Tinta Bruta”
– Melhor direção de arte e figurino: Tais Augusto, Isac Bento e Filipe Arara por “Inferninho”
– Melhor fotografia: Glauco Firpo por “Tinta Bruta”
– Melhor edição: Germano de Oliveira por “Tinta Bruta”
– Melhor trilha sonora original: Vitor Colares, Felipe Lima e Rita de Cássia por “Inferninho”
– Melhor desenho sonoro: Tiago Belo por “Tinta Bruta”
– Melhor atriz: Laysa Machado em “Primavera de Fernanda”
– Melhor ator: Shico Menegat em “Tinta Bruta”
– Prêmio Especial do Júri para ator coadjuvante: Rafael Martins em “Inferninho”
– Prêmio Especial do Júri para curta-metragem documentário: “MC Jess”

Júri da Aceccine (Associação Cearense de Críticos de Cinema):

– Melhor curta-metragem brasileiro: “Boca de Loba”, de Bárbara Cabeça
– Melhor longa-metragem brasileiro: “Inferninho”, de Guto Parente e Pedro Diógenes.

Prêmio João Neri:

– “Aqueles Dois”, de Émerson Maranhão