Sincronicidade

Então lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” (Mt 16,15)

icone16O Cristianismo, distintamente do que ocorre com as três outras grandes religiões monoteístas, não é uma religião imediatamente revelada. É uma religião que se foi gradualmente formando, no curso do primeiro século aD. Jesus jamais se declarou Filho de Deus e sim Filho do Homem, nem se apresentou como instituindo uma religião e sim uma prática ética. A única vez, de acordo com os Evangelhos, em que sua divindade entra em jogo é quando Pilatos lhe pergunta: “tu és Deus?” A resposta de Jesus, “tu o dissestes”, não assume sua divindade, mas desloca para Pilatos essa afirmação.

Diversamente, todas as declarações de Jesus, na sua pregação ou no Calvário, notadamente suas queixas finais de abandono, são no sentido de se considerar um mensageiro humano de Deus cuja mensagem ele, como profeta, buscava transmitir em suas pregações e seus atos. Foi a partir da Ressurreição que Pedro e os apóstolos se convenceram de que Jesus era Filho de Deus. A Ressurreição, todavia, relativamente a uma pessoa como Jesus, cuja realidade histórica é extremanente tênue e só recentemente está recebendo algum esclarecimento, não tem nenhum elemento de comprovação, como não o poderia ter. A Ressurreição decorreu da vontade de nela acreditar, por parte de Pedro e dos apóstolos, que não haviam tido a coragem de defender Jesus e disso profundamente se arrependeram.

                                                                                                 Helio Jaguaribe 

[Jaguaribe, Helio.  Breves Reflexões sobre o Cristianismo (2004). Em: Brasil, Mundo e Homem na Atualidade: estudos diversos. – Brasília: Fundação Alexandre de Gusmão, 2008,  p. 676.]