Sincronicidade

Maria sob uma nova perspectiva

Hoje em dia, tanto entre católicos como entre os não-católicos de todo o mundo, acredita-se que Maria, a mãe de Jesus, não pode servir como uma fonte de inspiração para a mulher moderna. Definida e interpretada por homens celibatários, a tradicional mariologia tem pouco a dizer a respeito dos desafios e das aspirações das mulheres no mundo atual. As homilias dos dias de festas marianas feitas pelos sacerdotes tendem mais a alienar e a frustrar as mulheres da comunidade do que a inspirá-las. Não surpreende que muitas optem por ignorar totalmente Maria, dando preferência a figuras bíblicas como as irmãs Marta e Maria, ou Maria Madalena, conhecida como “a apóstola dos apóstolos” na Igreja primitiva, por ter sido ela a primeira a testemunhar a Ressurreição.

Tina Beattie

[Beattie, Tina. Redescobrindo Maria a partir dos Evangelhos. Tradução Silvio Neves Ferreira. – 3ª. ed. – São Paulo: Paulinas, 2007, p. 3. – (Coleção Maria em nossa vida).] 

Gostaria de comentar hoje um livro que, diria, foge um pouco ao padrão dos livros que habitualmente tratam do tema mariologia. O livro intitula-se Redescobrindo Maria a partir dos Evangelhos. A autora, Tina Beattie, nasceu em 1955, em Lusaka, e viveu a maior parte de sua vida na África: Zâmbia, Quênia e Zimbáb