Sincronicidade

Posse da nova diretoria da Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza

Seridião Correia Montenegro

Os que buscam a felicidade nas rutilâncias magnéticas do ouro, na volubilidade espetaculosa da glória, no deslumbramento indizível do poder, nas iníquas mundanidades corruptoras, se frustram e se decepcionam. O homem sábio demanda o prazer que não desfalece, que transfigura, que imaterializa, que deifica o homem – o prazer intelectual, o prazer de descobrir verdades novas no domínio da ciência, das letras e das artes, o prazer de dar à sua razão privilegiada a maior soma possível de luz criadora. Como não somos uma corporação de sábios, devemos procurar ser uma bela agremiação de estudiosos a ver nas manifestações da inteligência, nas criações literárias, nas formulações poéticas, a mais sublime conquista do espírito humano.

Seridião Correia Montenegro

[Discurso de posse como Presidente da Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza]

Atendendo ao convite do amigo Seridião Correia Montenegro, me fiz presente à solenidade de posse da nova diretoria da

Anízio Araújo faz a abertura da sessão solene

Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza-AMLEF, realizada na última sexta-feira, 30 de setembro de 2011, ocasião em que o nominado tomou posse como Presidente da referida Arcádia, cabendo ao acadêmico José Bonfim de Almeida Júnior ocupar a Vice-presidência. O discurso de saudação à nova diretoria ficou sob a incumbência do acadêmico Flávio Leitão, ocupante da cadeira nº 34 e também membro da Academia Cearense de Medicina.

No seu discurso de posse, Seridião traçou um breve histórico da AMLEF:

Ainda com o olhar voltado para o passado, não posso deixar de lembrar e de enaltecer, por um dever de justiça, aquele a quem se deve a iniciativa de criar, com coragem e determinação, em 25 de junho de 2005, uma associação literária e cultural, que se denominou Academia Municipalista de Letras do Estado do Ceará – o escritor e cordelista José Lemos de Carvalho, o Dezinho, seu primeiro presidente.

Terminado o mandato do fundador, assumiu a Presidência da Academia o escritor e poeta José Anízio de Araújo, com a missão de consolidar e estruturar a incipiente sociedade literária.

O novo presidente, com o aval de todos os acadêmicos, definiu para a academia área geográfica distinta da de outras academias de letras, alterando-lhe a denominação para Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza, afastando assim, definitivamente, qualquer causa de conflito ou divergência com nossas congêneres sediadas nesta cidade.

Seridião Correia Montenegro é bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da UFC. Na Secretaria de Educação do Ceará, foi Técnico de Educação e Professor. No magistério superior, lecionou Direito Tributário e Legislação Tributária, na UBEC (Faculdade Católica de Brasília), na UNIFOR e na ESAF, em Brasília. Pós-graduado em Planejamento do Desenvolvimento Econômico. Ocupou os cargos de Técnico de Tributação e de Fiscal de Tributos Federais da Secretaria da Receita Federal, Agente Fiscal do Tesouro Nacional, Auditor Fiscal de Tributos Federais da Receita Federal, no qual se aposentou em 1991. É Procurador da Fazenda Nacional, aprovado em Concurso Público em 1993.  Na AMLEF, ocupa a cadeira nº 30, cujo patrono é o escritor Eduardo Campos.

Dep. Mauro Bendvides recebe a estola, o colar e o diploma de Acadêmico Honorário da AMLEF

Além da posse da nova diretoria da AMLEF, um outro ponto alto da solenidade foi a outorga do título de Acadêmico Honorário ao deputado federal Mauro Benevides, membro da Academia Brasileira de Letras. Coube ao acadêmico Osmar Diógenes, ocupante da cadeira nº 9 da AMLEF, proferir o discurso de saudação, durante o qual esboçou um rico perfil biográfico do homenageado, ocasião em que todos os presentes puderam conhecer melhor a história de vida de um dos homens que mais enobrecem a nossa terra.

Ao final do seu discurso de posse, Seridião expôs aos acadêmicos e convidados o seu projeto para a AMLEF nos dois anos em que estará gerindo os destinos da Instituição na condição de Presidente, projeto esse, deve-se salientar, digno de louvor:

Nos próximos dois anos à frente da Academia Metropolitana de Letras, tudo faremos para que a nossa Arcádia se irmane às demais academias sediadas em Fortaleza, a fim de que juntos possamos disseminar o conhecimento e levar aos jovens, nas escolas, o gosto e o prazer da leitura e das construções literárias.

Também é nossa intenção estabelecer um elo de ligação da academia com jovens estudantes que demonstrem interesse de

O autor deste blog ao lado do acadêmico Seridião Correia Montenegro

 presenciar e ver atuando, neste majestoso palco do saber, os protagonistas da nossa Arcádia, seguindo o dignificante exemplo da Academia Cearense de Letras, que promove a seu recinto acadêmico visitas monitorizadas de escolas e universidades públicas. Outra área de contato com a juventude poderá ser estabelecida através da promoção de concursos literários que permitam identificar pendores literários e vocações poéticas, numa sociedade que prima pela exclusão social, pelas injustiças e pela falta de oportunidades, para os que tiveram a infelicidade de nascer filhos da pobreza e do infortúnio.

Encerrando a solenidade, foi lançada a Antologia AMLEF, publicação composta de textos de grande diversidade literária emanados da pena dos acadêmicos.