Sincronicidade

Um programa a serviço da doutrina espírita

151 1

 

Allan Kardec

Europa, Espanha, Barcelona, 09/10/1861, 10h da manhã. Local, data e horário onde a inquisição, dita santa durante a Idade Média, promoveria o seu último ato. Ali 300 obras espíritas foram expostas e queimadas, naquele pátio onde os criminosos promoviam o seu suspiro de vida, condenados à execução sumária. A época já não permitia que pessoas

 

fossem queimadas, como tantas o foram simplesmente por se oporem ao pensamento religioso vigente e considerado universal. O principal réu do processo, Allan Kardec, poupado pela evolução da civilização sobre a barbárie, denominou aquele fato de Auto de Fé de Barcelona e exortou aos espíritas de todo o mundo que doravante festejassem esse dia como

uma data de alegria e vitória da liberdade do pensamento. Na edição da Revista Espírita de novembro/1861 assevera em meio ao artigo: “Podem-se queimar os livros, mas não se queimam as ideias; as chamas das fogueiras as superexcitam em lugar de abafá-las. As ideias,

aliás, estão no ar, e não há Pirineus bastante altos para detê-las; e quando uma ideia é grande e generosa, ela encontra milhares de peitos prontos para aspirá-la”.

Terminada a sessão de labaredas das obras espíritas, o público ali presente, centenas de pessoas, mergulharam nas cinzas dos livros, enquanto a turba do clero se retirava sob os apupos de “abaixo a inquisição”, e retiravam restos das obras apenas parcialmente queimadas.

Kardec recebeu parte de O Livro dos Espíritos que sobrevivera ao fogo e guardou como peça de museu, uma representação ao poder da verdade ante o fogo covarde da ignorância.

Curiosamente, mas não por acaso, aquela obra que resistira em parte ao fogo, desponta nas salas do cinema nacional como a grande homenageada, 150 anos depois, com o título O Filme dos Espíritos. Sob a frase “essa obra mudou a minha vida”, O Livro dos Espíritos é o personagem principal de uma trama humana comum, igual a tantas tramas que sabemos ocorrerem mundo afora. Alguém que perdeu entes queridos levados pela morte, perdeu a direção da vida por se desviar pelo vício do álcool, sofreu demissão do emprego, sentiu-se fragilizado o suficiente para encarar a vida e pensou em matar-se. O Livro dos Espíritos apareceu em sua vida e o salvou do caos. Como se não bastasse o enredo em si mesmo, que poderia ser testemunhado por milhares de pessoas em torno do mundo, em todos os rincões nos quais as obras espíritas simplesmente salvam pessoas da loucura e do suicídio, parte da renda das exibições vão ser aplicadas à Fundação André Luiz, responsável por milhares de portadores de doenças psiquiátricas.

O Livro dos Espíritos, sobrevivente ao Auto de Fé de Barcelona, mentor intelectual e espiritual de Allan Kardec, Léon Denis, Camille Flamarion, William Crookes, Ernesto Bozzano, Chico  Xavier, Divaldo Pereira Franco, Herculano Pires, Leopoldo Machado, Vianna de Carvalho, Bezerra de Menezes, entre tantos outros, é uma história de vitória do mundo espiritual que se contrapôs à cegueira.

O dia 09 de outubro é dia de comemorar. Em plena esplanada da cidade de Barcelona a  insensatez foi derrotada, foi a última vez na historia da humanidade em que a inquisição intentou contra a vida e liberdade de expressão… E dessa vez perdeu. A verdade prevaleceu.

Editorial do dia 09/10/2011 do programa ANTENA ESPÍRITA

Embora eu não possa me declarar um ouvinte assíduo, pois não é sempre que o escuto, mesmo assim por mais de uma vez tenho me postado ao pé do rádio para ouvir o programa Antena Espírita, levado ao ar sempre aos domingos a partir das 21 horas na rádio Cidade AM 860. A audição desse programa, feito com esmero e requinte por uma equipe de alto quilate, tem me proporcionado ótimos momentos de enlevo e esclarecimento sobre a doutrina que teve no francês Hippolyte Léon Denizard Rivail (1804-1869), mais conhecido por Allan Kardec, o seu codificador.

Digo enlevo porque, logo no início do programa , após a leitura do Editorial, sempre é recitada uma prece que proporciona a quantos estão na escuta a oportunidade de se sentirem irmanados e partícipes de uma autêntica egrégora, que tem como mentores os espíritos iluminados que assistem a todos os que buscam semear o amor e a paz.

À prece segue-se a parte informativa do Antena Espírita, com Notícias do Movimento Espírita, Sáude e Espiritualidade, Gotas de Espiritismo, Conforto Espiritual, o Livro dos Espíritos passo a passo e Respondendo aos ouvintes. Nessa última parte, são esclarecidas diversas questões propostas pelos ouvintes que participam ao longo do programa por telefone ou por e-mail. Estes concorrem, ainda, ao sorteio de dois livros no final do programa.

Atualmente o Antena Espírita é levado ao ar pela seguinte equipe: Jean Rodrigues, Rosi Caldas, Liduína Castro, Paulo Vale, Roberto Caldas, Paulo Eduardo, Fernando Cunha, Francisco Castro e Rute Barrocas.

O programa do domingo passado, dia 9, que tive oportunidade de assistir, contou com a presença de um convidado especial, o radialista Moreira Brito. Na ocasião, o convidado aproveitou para propor algumas questões sobre a doutrina espírita, uma vez que o mesmo afirmou ser um simpatizante mas não um praticante nem conhecedor da mesma. Uma de suas intervenções que mais me despertou a atenção foi aquela em que, indagado sobre que aspectos ele destacaria como de particular interesse no espiritismo, respondeu salientando a serenidade que ele sempre observa nos praticantes dessa doutrina.

Nesse mesmo programa foi lembrado o último Auto de Fé realizado pela Inquisição, fato que se deu exatamente num outro nove de outubro, ocasião em que foram queimadas três centenas de livro espíritas.

Ao concluir a audição daquele dia, depois de rememorar o fato já explicitado no início, quando da leitura do Editorial, foi feita referência à figura de Jesus Cristo, paradigma máximo de quantos pugnam pela tolerância entre todas as pessoas, sem distinção de raça, sexo, credo ou classe social.

É assim o Antena Espírita, um programa feito por pessoas que, sem qualquer intenção de fazer proselitismo, presta esclarecimentos e informações a quem quer que se sinta interessado em conhecer melhor os princípios e postulados nos quais se esteia o Espiritismo.