Sincronicidade

Múltiplos olhares sobre a Mariologia

Certa vez, um estudante de teologia entrou numa grande livraria católica em busca de bibliografia atualizada sobre Maria. Perguntou ao atendente: “Onde estão os livros de mariologia?”. O funcionário da loja ficou um pouco assustado com a pergunta. Imediatamente se refez da surpresa, e disse: “Ah, livros sobre Nossa Senhora… Temos vários!”. E apresentou uma estante repleta de caderninhos, livretos e livros nos quais estavam expostos novenas, ladainhas, terço em família e tantas outras devoções. O cliente insistiu: “Mas eu quero livros de mariologia!”. “Eles estão aí e lhe garanto que são muito bons! Todo dia tem gente que vem comprar!”

Esse simples fato elucida algo comum nos meios católicos. Confunde-se facilmente o estudo sobre Maria, esta disciplina da teologia denominada mariologia ou marialogia, com a devoção mariana. Ambas são legítimas, mas comportam formas diferentes de se aproximar da Mãe de Jesus. A devoção compreende a relação de entrega, confiança, súplica, discernimento, gratidão e louvor a Deus e aos santos. Está no âmbito da religiosidade, das práticas culturais. Expressa a dimensão mística e culturalmente situada da crença. Já a mariologia exercita outra dimensão da fé: o conhecimento. Pois quem ama quer conhecer o(a) outro(a) para amá-lo(a) melhor e construir uma relação lúcida e madura. A piedade mariana sem teologia corre o risco de perder a lucidez, mover-se sem critérios e limites e degenerar-se em crendice. Já a teologia sem mística e piedade se degenera num discurso racional que se distancia do fascínio divino. Mostra-se desrespeitosa e pastoralmente inconsequente.

Ir. Afonso Murad

[Murad, Ir. Afonso. Introdução, p. 7. Em: Maria no coração da Igreja: múltiplos olhares sobre a Mariologia / União Marista do Brasil. – São Paulo: Paulinas: União Marista do Brasil – UMBRASIL, 2011. – (Coleção Maria em nossa vida)]

Maria no coração da Igreja: múltiplos olhares sobre a Mariologia é uma das melhores aquisições que fiz ultimamente para a minha biblioteca de mariologia. A obra resultou do Simpósio de Mariologia, uma das atividades constitutivas do Ano Mariano do Brasil Marista, decorrentes do apelo do XXI Capítulo Geral do Instituto dos Irmãos Maristas.

Na Introdução, escrita pelo Ir. Afonso Murad, é delineado um esboço resumido de cada um dos capítulos que compõem o livro: Perfil de Maria numa sociedade plural (Afonso Murad); Maria, a mulher (Lina Boff); Perfil de Maria nos textos bíblicos (Maristela Tezza); Educar a piedade mariana (Joaquim Fonseca); O perfil mariano da Igreja (Francisco das Chagas); A Trindade e a Virgem Maria: uma relação de encontro, comunhão e missão (Leomar Antônio Brustolin); Maria no diálogo ecumênico (Marcial Maçaneiro). Além desses capítulos, a conclusão traz uma Ladainha mariana para o nosso tempo de autoria do Ir. Afonso Murad.

Esse livro, muito mais que ser apenas lido, merece ser estudado e discutido em profundidade. Os seus idealizadores foram muito felizes na escolha dos temas abordados. Cada um dos capítulos oferece um recorte sobre a mariologia, cobrindo uma vasta gama de temas, todos abordados com muita propriedade .

Vale salientar, ainda, a ampla bibliografia citada no final de cada capítulo, de grande utilidade para os estudiosos e aficionados da mariologia.

Para concluir, cito um trecho da Introdução, que resume muito bem o espírito que norteou a publicação de Maria no coração da Igreja:

Os artigos que compõem este livro expressam a sã pluralidade da produção teológica contemporânea e tratam das múltiplas formas de acesso para conhecer mais e melhor a Mãe de Jesus. Uns têm enfoque predominantemente bíblico, alguns passeiam pelo dogma ou pela piedade mariana, outros se detêm na relação entre Maria e a(s) Igreja(s). A diversidade de temas e perspectivas caracteriza esta obra. Mais ainda, sinaliza que a mariologia está viva e tem um belo caminho a percorrer (p. 9).