Sincronicidade

Uma imersão no fascinante universo da Mariologia

É um grande privilégio poder fazer uma pós-graduação em Maiologia, principalmente para leigos e leigas. Nossa Academia Marial de Aparecida já tem um prestígio nacional e até internacional na oferta de cursos, congressos e, agora, desta especialização em parceria com a Faculdade Dehoniana, de Taubaté. (…) Queremos oferecer esta oportunidade de aprofundar no conhecimento da Mãe de Jesus. Quem sairá ganhando com isso? Você, sua família, a Igreja e, por que não, a própria sociedade, pois Nossa Senhora Aparecida é Rainha e Padroeira do Brasil.

Dom Orlando Brandes – Presidente da AMA, Arcebispo de Aparecida

Entre domingo e segunda-feira próximos chegam a Aparecida cerca de trinta pessoas, dentre padres, freiras, leigos e leigas vindos de diversos estados do Brasil, para a segunda etapa de um projeto iniciado em julho de 2018. Embora peregrinos – posto que todos nós cristãos o sejamos, enquanto prosseguimos em nossa jornada terrena -, eles chegam à casa da Mãe Aparecida imbuídos de um objetivo especial e muito particular: conhecer com maior profundidade essa mulher que, ao se tornar a genitora do Redentor se converteu, simultaneamente, em mãe de todos nós. Para a consecução de tal objetivo, participarão, como alunos, do segundo módulo do Curso de Pós-graduação em Mariologia.

O curso, que formou a primeira turma em julho de 2018, é uma iniciativa da Academia Marial de Aparecida em parceria com a Faculdade Dehoniana, de Taubaté. Com duração de dois anos, a cada semestre os alunos passam 11 dias em Aparecida com aulas e atividades nos três expedientes, o que configura uma verdadeira imersão no universo da mariologia. No final,  deverão apresentar como TCC, um artigo.

No primeiro módulo, os alunos foram introduzidos ao estudo da Mariologia por meio das disciplinas: Docência de Mariologia no Ensino Superior 1 (Instrumental) – professores: Dr. João Carlos Almeida e Dr. Marcelo Batalioto; Magistério da Igreja em Mariologia a partir do Concílio Vaticano II (Sistemática) – professora Dra. Lina Boff; Introdução Geral ao Estudo da Mariologia – História, Fontes e requisitos (Sistemática) – professor Dr. Clodovis Boff; Iconografia Mariana em Aparecida (Lúdica) – professor Dr. Rafael Capelato e Textos Bíblicos Mariais (Sistemática) – professor Dr. Paulo Roberto Gomes.

Para o segundo módulo estão previstas as seguintes disciplinas: Docência de Mariologia no Ensino Superior 2 (Instrumental) – professores: Dr. João Carlos Almeida e Dr. Marcelo Batalioto; Releitura sistemática e pastoral dos Dogmas Marianos: Virgindade Perpétua e Assunção Corporal (Sistemática) – professor Dr. Afonso Murad; O debate em torno do dogma da Imaculada Conceição na perspectiva da Teologia da Graça (Sistemática) – professor MSc. Osmar Cavaca; Maria na Literatura (Lúdica) – professor MSc. Jonas Nogueira da Costa e Mariologia Pneumatológica – professor MSc. Jonas Nogueira da Costa.

Depois da experiência do primeiro módulo, posso afirmar, corroborando as palavras de Dom Orlando Brandes, que fazer este curso é um grande privilégio, na verdade, um raro privilégio. Para quem, como eu, mantém há mais de uma década uma verdadeira paixão pelo estudo da mariologia, sem que nunca, entretanto, tivesse tido a oportunidade de fazer um curso sistemático nessa área, pode-se considerar, de fato, uma graça muito especial – provavelmente obtida por intercessão da Virgem Maria – fazer parte deste grupo de alunos. Como se não bastasse a riqueza dos temas abordados nas disciplinas, nos é oferecida, ainda, a oportunidade de ter aulas ministradas por alguns dos mais renomados mariologistas do Brasil.

E apesar disso tudo, há dois meses quase desisti do curso. Que lástima seria se isso tivesse acontecido! Tive que rezar muito para que tal não ocorresse. Diariamente me postava diante da pequena e delicada imagem que eu trouxe de Aparecida, quando da minha viagem à cidade para o primeiro módulo, e pedida à Santíssima Mãe que me segurasse pela mão e não me deixasse desistir.

Nas ocasiões em que sentia que estava correndo um perigo maior, abria o Marial, de São Lourenço de Brindis, e lia um ou outro trecho de algum de seus encantadores sermões sobre a Virgem. Como tenho verdadeira paixão pelo Magnificat, lia especialmente aquele sermão em que, num momento de excesso de entusiasmo e admiração, o Doutor Apostólico atribui à Virgem o título de “maior e mais sábia mestra de teologia”, conforme suas palavras: “La santa filosofia considera que de todo ser se tienen que examinar tres aspectos: qué es, qué puede, qué obra. Y María em su canto, a modo de la mayor e más sabia maestra de teología, canta estas três cosas de Dios: que por naturaleza es el Señor de todas las cosas, que por virtud es omnipotente, que ha realizado grandes maravillas. Tenía que ser así, pues uma vez llena del Espíritu Santo, poseía el espíritu de sabiduría y de entendimento, que son los primeros dones del Espíritu Santo” (San Lorenzo de Brindis, Marial. Madrid: Biblioteca de Autores Cristianos, B.A.C., 645. Em: “Magnificat”, el cántico de la Virgen Madre de Dios – Sermón Segundo: El Magnificat, cântico de sabiduría e de piedad, p. 279.)

Nesses momentos, eu, deixando de lado a humildade e arriscando um gesto de grande ousadia, pedia-lhe: “Seja, também, para mim, a Mestra nessa caminhada, tome-me pela mão e não me deixe desistir”. Acho que a Mãe Aparecida me ouviu, pois desde esta noite de sexta-feira já estou de malas prontas. Na madrugada de domingo embarco para a Casa da Mãe. Espero com muita expectativa o momento em que, na segunda-feira, encontrarei os colegas que não vejo desde julho, a quem me irmanei nesse mister de conhecer com um pouco mais de profundidade essa figura que se fez para nós medianeira no caminho para Cristo, e que, conforme o ícone em que é figurada sob o título de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, nos fita fixamente enquanto aponta para a criança que comodamente descansa em seus braços, como a dizer: “Ele é a meta”.  

Recomendado para você