Slice

Exclusivo: Com resultados negativos, técnico de Bellucci diz que é preciso “paciência”

João Zwetsch durante treinamento com Thomaz Bellucci. Foto: Divulgação

João Zwetsch durante treinamento com Thomaz Bellucci. Foto: Divulgação

Em entrevista exclusiva ao Blog Slice, o técnico de Thomaz Bellucci, João Zwetsch, diz que apesar de alguns resultados do tenista número 1 do Brasil não atender às expectativas do exigente público, ele tem condições reais de “almejar voos mais altos” no circuito internacional.

Os últimos resultados do brasileiro não têm sido nada positivos. E a exigência só aumenta. Bellucci, que tem quatro títulos a nível ATP 250, tem dificuldade em ir longe em competições mais disputadas – de maior nível -, como ATP 500, Masters 1000 e Grand Slams. Zwetsch, no entanto, fez questão de ressaltar a qualidade técnica do jogador e o alto nível da competição internacional.

Para João Zwetsch, “em algum momento (um grande resultado) vai acontecer, basta a gente ter um pouco mais de paciência”. O técnico avaliou ainda a atual situação de outros tenistas brasileiros.

Acompanhe os principais trechos da entrevista:

Blog Slice: Como administrar essa exigência do público por resultados do Thomaz Bellucci?

João Zwetsch: Normal. Thomaz é um jogador de nível técnico muito alto. Ao logo da carreira, muitas vezes as expectativas das pessoas são maiores, mas a gente sabe que está dentro de um circuito muito complicado, muito competitivo e difícil… e Thomaz tem chance até de almejar voos mais altos que ele já teve. No entanto, é sempre exercício de perseverança e paciência. Isso é possível. As vezes, um resultado bom o público se empolga, mas a gente sabe que é uma coisa que possa vir com consistência, com volume. Não é uma coisa simples. Precisa de uma questão física muito grande, mental. Em algum momento vai acontecer, basta a gente ter um pouco mais de paciência.

Blog Slice: O que esperar dos meninos nessa temporada?

João Zwetsch: Acho que pode ser uma temporada boa. Thomaz está jogando boas duplas, fez uma grande semana em Quito, final de simples e duplas, foi a primeira final do ano. Marcelo Demoliner jogando também bem as duplas, Bruno Soares e Marcelo Melo mantendo o nível deles lá em cima… Tivemos o Thiago Monteiro surpreendendo (Rio Open e Brasil Open) mostrando que tem força e que está para chegar a qualquer momento… Orlandinho chegando também, Guilherme Clezar batalhando… Pessoal está ali muito perto de subir de nível, almejar bons resultados em torneios maiores, mas é sempre um exercício de paciência e perseverança para que em algum momento as coisas aconteçam. É isso que a gente tem que ter.

Blog Slice: A gente viu o cearense Thiago Monteiro surpreendendo no Brasil, o que podemos esperar dele daqui para frente?

João Zwetsch: Foi surpreendente sim pelo tamanho, pela dimensão. Tsonga é top 10 há 5/6 anos. Uma vitória dessa para um garoto como o Thiago que está começando a carreira, com poucos anos de experiência, dá uma motivação e confiança muito maior. Essas situações, passar por isso, são muito importantes na carreira do jogador, é um passo necessário para jogadores que querem almejar grandes resultados. A gente sabe que o caminho é longo. Agora é trabalhar firme e ter objetivos mais claros.

Confira detalhes do atual momento dos principais tenistas brasileiros:

+ Thomaz Bellucci vive uma má fase há sete jogos sem vencer
+ Teliana Pereira venceu um jogo em onze disputados em 2016

Recomendado para você