Slice

Australia Open: Thiago Monteiro reencontra Tsonga na estreia, o vice-campeão do torneio

O cearense Thiago Monteiro emocionado após vitória contra Tsonga no Rio Open no ano passado. Foto: R

O cearense Thiago Monteiro emocionado após vitória contra Tsonga no Rio Open no ano passado. Foto: Reprodução

O cearense Thiago Monteiro já deve ter se acostumado a encontrar pedreiras nos torneios que vem jogando desde o ano passado. Os encontros foram muitos: Cuevas, Simon, Almagro… Quem não se lembra do confronto contra o francês Jo-Wilfried Tsonga na estreia do Rio Open no ano passado? Pois é, o duelo vai se repetir na primeira rodada do Austrália Open — o primeiro Grand Slam do ano.

O novo confronto, no entanto, traz também novos ingredientes para o duelo. São condições de jogo completamente diferentes na comparação entre Rio Open e Austrália Open. O primeiro é disputado no saibro (brasileiro) onde Thiago tem muito mais intimidade de jogo, o segundo na quadra rápida onde Tsonga se sente muito mais a vontade.

Tsonga tem muito mais história na quadra rápida do que o brasileiro. Embora francês, do País onde abriga um Slam no saibro — Roland Garros —, historicamente Tsonga tem muito mais vivência na quadra dura. Jogou muito mais torneios, tem muito mais vitórias e títulos nesse estilo de quadra que é jogado no Slam australiano do que no saibro.

Ainda em 2008, o francês foi vice-campeão do Austrália Open, perdendo na final para Novak Djokovic. No seu histórico na quadra dura também tem título em Masters 1000, ATPs 500 e 250, além dos Challengers que venceu no início da profissionalização.

Monteiro, por outro lado, iniciou sua carreira na quadra rápida há poucos meses. Ainda busca se firmar. Com uma estratégia acertada de evoluir no circuito internacional, a equipe do cearense tem inserido no calendário torneios com o estilo de jogo mais rápido para a evolução de nível de Thiago não apenas em ATPs, mas também em Slams.

Especialista no saibro, o fortalezense vai precisar adotar estratégia eficiente para surpreender mais uma vez o adversário. Agora no top 100, Thiago é mais conhecido no circuito internacional do que no ano passado quando entrou em quadra no Rio de Janeiro para disputar um jogo aparentemente com poucas chances de ganhar. Com o jogo mais marcado, Monteiro precisa mostrar mais recursos do que pode fazer dentro de quadra.

“Primeira rodada dura, muito difícil, ele é um cara que joga bem nessa superfície, já esperava uma primeira rodada difícil, não tem como escolher em Grand Slam, estão todos os melhores do mundo. Tsonga é um grande jogador, é bem agressivo. Mas acredito que estou fazendo uma boa preparação, bons jogos nessa gira para o Austrália Open. Vou entrar em quadra para dar meu melhor, acreditando na vitória e tentar surpreender mais uma vez como aconteceu ano passado. Aproveitar a oportunidade de jogar meu primeiro Grand Slam, desfrutar, ganhar essa experiência e procurar fazer meu melhor como sempre procuro fazer”, disse Thiago após o sorteio da chave principal.

Vale lembrar que o cearense tem quatro jogos no ano na quadra rápida. Foram duas vitórias e duas derrotas. Sem programação definida ainda, Thiago deve jogar entre segunda, 16, e terça-feira, 17.

Brasileiros

Número 1 do Brasil, Thomaz Bellucci enfrenta o australiano Bernard Tomic logo na estreia. Mais uma pedreira. Rogerio Dutra enfrenta o americano Jared Donaldson. Uma jovem promessa perigosa dos Estados Unidos.

Na chave feminina, Teliana Pereira e Paula Gonçalves foram eliminadas na disputa do qualificatório e ficam de fora da primeira rodada. O sorteio das chaves masculinas de duplas será feito neste domingo, 15.

Reveja aqui os melhores momentos do confronto Monteiro x Tsonga no Rio Open!

Recomendado para você