Varanda Casa Azul

“Irado, mas essa tecnologia aqui é muito melhor!”

34.203.28.212 /varanda/2019/02/13/irado-mas-essa-tecnologia-aqui-e-muito-melhor/
58 Seja o primeiro a comentar

Texto por Murilo Parente, atual diretor de produto e tecnologia da Digital Influencers e desenvolvedor desde os 13 que viu no empreendedorismo uma forma de unir o que mais ama: Construir ideias; Inovar; Impactar a vida das pessoas.

Se você é desenvolvedor, programador, engenheiro de software ou seja lá qual for o seu título, com certeza já deve ter escutado essa frase, pode não ter sido com essas mesmas palavras, mas com o mesmo significado.

Com tanta tecnologia nova, parece que todo dia alguém lança um novo “Tabajara Framework: Seus problemas acabaram!” ou uma linguagem que, resumidamente, promete criar a aplicação dos seus sonhos com duas linhas de código. Essa situação pode parecer uma caricatura, mas, felizmente, não é!

Realmente, tecnologias incríveis são lançadas a todo instante e isso é muito bom. O problema é aquele ditado popular, que apesar de clichê, encaixa muito bem nessa situação: “Tudo demais, é veneno”.

Hoje, existem dois tipos de situação que eu tive a oportunidade de vivenciar, onde esse problema ficou bastante explícito. A primeira foi no meu começo de carreira, onde precisava escolher uma tecnologia para aprender e me qualificar para futuras oportunidades, e eu detalho melhor em “Programador: “E agora? O que aprender?””; A segunda situação foi quando estive no início de um projeto, onde precisava definir de que forma esse projeto iria ser desenvolvido, qual tecnologia eu iria usar. Foi então que eu parei e me fiz a seguinte pergunta:

Qual a melhor tecnologia para o meu projeto?

Uma pergunta muito genérica, não acha? São muitas variáveis que se deve levar em conta. Levantei alguns pontos que me ajudaram a tomar a melhor decisão, e agora vou compartilhar com você.

O meu projeto é altamente relevante?

Saber se vai ser um micro serviço ou monólito que vai sustentar toda sua empresa é essencial. Nesses casos, uma tecnologia com nome de peso é essencial. Recorrer para tecnologias novas demais de empresas que não tem grande renome é muito arriscado, porque você não vai querer correr o risco de está trabalhando com uma tecnologia abandonada ou depreciada no meio do seu projeto.

O meu projeto é complementar?

Sabendo se seu projeto é complementar, você pode arriscar mais, pode escolher aquela linguagem e framework que está mais na moda, trazendo a facilidade de contratação. Geralmente, como são tecnologias muito novas, profissionais muito bons trazem um custo menor que os do mesmo nível em linguagens mais tradicionais.

A tecnologia escolhida é bem documentada?

Escolher tecnologias desconhecidas pode trazer o risco de não existir uma comunidade ativa, o que é normal, e para isso não ser um ônus muito grande, ela precisa estar muito bem documentada. Programadores passam uma parte considerável do tempo procurando soluções na internet de problemas rotineiros, e aumentando esse tempo, você estará sacrificando produtividade. Tudo isso deve ser colocado na balança. Os benefícios dessa tecnologia superam a produtividade que meu time irá perder? Lembre-se: produtividade é dinheiro!

O meu time está disposto a abraçar essa mudança?

Se você já tem uma equipe de desenvolvimento, que antes trabalhava em outro projeto na sua empresa (a não ser que você tenha budget para contratar um time secundário) é bom ver como eles irão reagir a essa mudança. Adianto-lhe que, na maioria das vezes, times de desenvolvimento não estão muito abertos a novas tecnologias dentro da stack da empresa. Por quê? Isso significa mais trabalho para eles, porque terão que se dedicar a aprender coisas novas e enfrentar novas dificuldades, e é ai que você pode tentar extrair coisas positivas dessa mudança. Agora é a hora de você criar uma nova cultura de desenvolvimento. Pessoas estão muito mais abertas a mudanças quando estão fora da zona de conforto. Você como líder terá o desafio de engajá-los e fazer com que criem um clima de empolgação, não de desânimo.

Note que em nenhum momento citei uma tecnologia, ou que ela precisa ser rápida e robusta, sabe por quê? Porque isso não importa, a não ser que você seja uma multinacional, uma startup de 1 bilhão de dólares ou uma empresa de estudos científicos que demandam alto poder de processamento. Os milissegundos de resposta não são mais caros que ter que sustentar uma operação altamente complexa, um time lento ou um time rápido que come grande parte do seu faturamento.

Lembre-se!

Não existe tecnologia milagrosa que vai resolver todos os seus problemas da melhor e mais rápida forma, existem tecnologias que vão resolver seu problema por um preço. Processamento, tráfego e armazenamento estão cada dia mais baratos, a única coisa que está ficando mais cara são os bons profissionais, então pense primeiro neles.

Portanto, toda vez que alguém chegar para você dizendo que, para o seu problema, a tecnologia X é muito melhor, porque ela é 2x mais rápida que a sua atual, responda que 100ms não valem o preço de dobrar o seu custo com tecnologia.

Recomendado para você