Veia Esportiva

As medalhas dos “Silva” para o Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016

Atletas que têm em comum muito mais que as medalhas, mas o sobrenome. (Foto: Reprodução)

Atletas que têm em comum muito mais que as medalhas, mas o sobrenome. (Foto: Reprodução)

 

Vocês já reparam que algumas das medalhas do Brasil vieram de onde “menos se esperava”? Pois bem, vieram de mãos de pessoas nascidas e criadas em bairros pobres,  sem previsão de futuro, que além disso tem em comum o sobrenome: Silva. Um sobrenome popular mas que tem muita força.

Força e determinação para lutar por um futuro no esporte mesmo quando os incentivos são poucos, força e determinação para sonhar e seguir esse sonho. E foi assim que cada um deles chegou ao lugar mais alto de uma olimpíada, à um lugar de destaque no pódio, conquistando uma medalha, seja ela de ouro, prata ou bronze.

Nomes que nunca havíamos escutado na vida, pessoas que nunca tínhamos visto em lugar nenhum e “de repente” boooom! O mundo Brasil inteiro conhece. O mundo inteiro conhece. Os sites esportivos só o que falam é o nome deles. Histórias contadas, reproduzidas por emissoras de TVs que destacam de onde cada um veio e como foi difícil chegar até o topo.

Foi difícil para cada um deles e é difícil para muitas pessoas que têm o mesmo sonho, mas que com esses exemplos, sentem que mesmo com as barreiras eles também podem chegar lá. Superação é sempre a palavra-chave, acreditar no sonho, perseverar e ir à luta. Esses são alguns dos exemplos que levaremos para a vida, de cada uma dessas pessoas que ganharam medalhas olímpicas para o Brasil.

Rafaela Silva, medalha de ouro no Judô.
Thiago Braz da Silva, medalha de ouro no Salto com Vara.
Mayra Aguiar da Silva, medalha de bronze no Judô.
Rafael Silva, medalha de bronze no Judô.

Vocês fizeram história.

Recomendado para você