Veia Esportiva

Saiba quem subiu para a Série A e quem caiu para Série C do Brasileiro

A Série B chegou a seu fim em 2018. Nesta última rodada, Avaí, Ponte Preta e CSA disputavam quem iria subir para Primeira Divisão. Para evitar o rebaixamento, CRB, Oeste, Paysandu e Criciúma lutaram para permanência na Segunda Divisão.

Quem subiu:

Fortaleza Esporte Clube (Foto: LC Moreira)

Além do acesso, o Fortaleza conquistou o título do Campeonato Brasileiro, da Série B, antecipadamente. Foi um dos poucos clubes, que conseguiu manter a regularidade na competição. No término, teve 21 vitórias, oito empates e nove derrotas, sob o comando de Rogério Ceni, que conquistou seu primeiro título de expressão. Outro destaque foi para o atacante Gustagol, com 14 gols somados na Série B e artilheiro do time.

CSA (Foto: Thiago Parmalat / Divulgação CSA)

O CSA teve que esperar até a rodada final para confirmar o acesso. Neste sábado, 24, venceu o Juventude por 4 a 0, e tirou a Ponte Preta, que disputava com os alagoanos. Sua campanha foi de 54% de aproveitamento, com 62 pontos somados (17 vitórias, 11 empates e 10 derrotas). A equipe não teve nenhum destaque, mas se comportou bem coletivamente para conquistar o feito.

Avaí (Foto: Fernando Remor)

Assim como o CSA, o Avaí teve um confronto direto contra a Ponte Preta para conquista. As equipes empataram sem gols, e Leão carimbou sua ida à Série A, em 2019, por mais vitórias. Os catarinenses tiveram altos e baixos na competição, mas conseguiram o feito. Ao final, somaram 60, com 16 vitórias, 13 empates e nove derrotas, com um aproveitamento de 53,5%. Para comandar, o experiente Marquinhos, que anunciou sua aposentadoria, o lateral-direito Guga e o meia Renato, artilheiro da equipe, com 12 marcados.

Goiás (Foto: Divulgação)

O Goiás também conquistou, antecipadamente, o acesso à elite do futebol nacional. O Esmeraldino saiu da zona de rebaixamento e aplicou uma arrancada história para subir, e o principal responsável foi Ney Franco, que chegou no meio da temporada. Dos que concluíram o acesso, é o time que tem mais derrotas, 14, em contrapartida foi o que mais venceu, 18. Deste modo, fechou a temporada com 52,6% de aproveitamento. Além do técnico, o atacante Lucão foi o responsável pelos gols do clube, com 16 marcados, e para te acompanhar, Michael também teve bom rendimento em campo.

Quem caiu:

Paysandu (Foto: Fernando Torres / Paysandu)

Pelo lado da tristeza, o Paysandu foi o primeiro na zona de rebaixamento ao final da rodada. O Bicolor entrou com possibilidades de permanência no último jogo da Série B, porém foi goleado pelo Atlético-GO e acabou rebaixado para Série C. Os paraenses conseguiram uma reação no fim, mas tiveram dificuldades na campanha. Foram 10 vitórias, 13 empates e 15 derrotas. O principal destaque da equipe foi Cassiano, que acabou vendido no meio da temporada pelo bom desempenho e ser artilheiro do time.

Sampaio Corrêa (Foto: Divulgação)

A partir do Sampaio Corrêa, as equipes foram rebaixadas de forma antecipada. Na 18ª posição, o time sofreu 20 derrotas e apenas 10 vitórias em 38 rodadas da Série B. Deste modo, o aproveitamento foi de 33,3%.

Juventude (Foto: Arthur Dallegrave/Divulgação/Juventude)

O Juventude foi mais um que teve dificuldades e não chegou a assustar os adversários. Para piorar a camapnha, o clube perdeu neste sábado por goleada e vai para Terceira Divisão, com sinal de alerta. Ao final, teve 30,7% de aproveitamento, com 17 derrotas, 14 empates e sete triunfos.

Boa Esporte (Foto: Divulgação)

Na lanterna do Campeonato, o Boa Esporte apresentou dificuldades dentro de campo e financeiramente, o que comprometeu no rendimento na Série B. Foram 22 derrotas, nove empates e sete vitórias. Na última rodada, empatou em casa contra o Oeste, que lutava contra o rebaixamento. Agora, busca um 2019 diferente.

 

Lance!

Recomendado para você