Veia Esportiva

#AnáliseBrasileirãoVE – A BOLA PUNE

(Foto: Israel Simonton)

O consagrado ex-treinador Muricy Ramalho tinha um leque de frases prontas, entre elas, tinha uma que dizia “A Bola Pune”.

A frase citada acima retrata muito bem o que aconteceu na noite desta quarta-feira, 1º, no Estádio Mineirão. O Alvinegro Cearense entrou em campo bem consciente do que queria propor para o duelo diante do Cruzeiro.

Com uma marcação forte e tentando surpreender nos contra-ataques, aos 18 minutos da primeira etapa o Vozão teve nos pés de Ricardo Bueno a oportunidade de abrir o placar após penalidade ser sinalizada pelo VAR. O atacante alvinegro esbarrou nas mãos do goleiro cruzeirense, Fábio.

Os donos da casa tentaram crescer no jogo, principalmente com o atacante Fred, mas o incansável Luís Otávio não dava espaço para o centroavante do Azul Celeste.

Aos quatro minutos do segundo tempo, depois de uma tabela envolvente na ponta esquerda, Thiago Neves aproveitou o rebote do goleiro Diogo Silva para marcar o único gol da partida.

Veja algumas situações que foram determinantes para o resultado final deste confronto entre Mineiros e Cearenses:

1- Jogo fora de casa contra um adversário que perdeu apenas um jogo no ano, não se poder desperdiçar uma oportunidade tão clara como a que Ricardo Bueno teve na cobrança de pênalti.

2- É incrível a regularidade do zagueiro Luiz Otávio. O atleta alvinegro foi soberano em praticamente todas as disputas que teve contra o fortíssimo ataque cruzeirense.

3- Com 829 jogos com a camisa do Cruzeiro e 15 temporadas atuando pelo time mineiro, o goleiro Fábio foi disparado o melhor jogador em campo. Defendeu uma penalidade e, ainda, realizou umas quatro intervenções que garantiram os três primeiros pontos dos comandados de Mano Menezes, no Brasileirão 2019.

4- Enderson Moreira deve ganhar peças importantes para o duelo diante do Atlético-MG. Principalmente em um dos setores mais sentidos no jogo de ontem. A tal da “criação de jogadas” do Ceará.

 

Eslley Lopes

Recomendado para você