Asas e Flaps

Situação de helicóptero que caiu e matou Fernandão era regular, diz Anac

mqdefault

O helicóptero que caiu na madrugada deste sábado (7) em Aruanã, a 315 km de Goiânia, e que matou o ex-jogador Fernando Lúcio da Costa, de 36 anos, conhecido como Fernandão, está registrado no nome da empresa Planalto Indústria Mecânica Ltda, da qual ele era sócio. Além dele, mais quatro pessoas também morreram no acidente. De acordo com informações da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a aeronave Esquilo, prefixo PT-YJJ, estava com a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) em dia e válida até fevereiro de 2015. Já o Certificado de Aeronavegabilidade venceria em fevereiro de 2019. As informações constam no site da agência.

O G1 entrou em contato com a Planalto, que é especializada na fabricação de equipamentos para coleta e transporte de resíduos, e um funcionário confirmou que a aeronave pertence à indústria. No entanto, os outros sócios não foram encontrados para comentar o assunto, pois seguiram para Aruanã.

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) foi acionado para investigar as causas do acidente. O G1 tentou contato com a assessoria de imprensa do órgão, mas as ligações não foram atendidas até a publicação desta reportagem. Já a Anac informou que aguarda os relatórios do Cenipa para se pronunciar oficialmente sobre o acidente.

Em nota, a Fênix Manutenção e Recuperação de Aeronaves Ltda, responsável pelas inspeções da aeronave, informou que as manutenções no helicóptero eram feitas “regularmente” e “de acordo com as exigências contidas no manual do fabricante e na legislação vigente”. A Fênix ressaltou, ainda, que colabora com o Cenipa no fornecimento de informações.

O acidente também será apurado pela Polícia Civil. “Estamos investigando as mortes, que são a esclarecer, tendo em vista que precisamos saber as circunstâncias em que o helicóptero caiu. Vamos aguardar os laudos do Cenipa e da Polícia Técnico-Científica”, informou a delegada Bruna Coelho.

bido-e-fernandao-2

Fernandão posa ao lado de Antônio de Pádua, outro que estava no helicóptero (Foto: Arquivo Pessoal)

O último dia de Fernandão, que morreu na madrugada deste sábado, foi vivido na cidade de Aruanã, que fica na divisa com Mato Grosso e a 310 quilômetros da capital Goiânia. Em imagens registradas por um amigo em redes sociais, ele aproveitou tarde ensolarada na Fazenda Aricá e passeou de lancha.

Nessa época do ano, o nível do Rio Araguaia baixa, diversos turistas aproveitam as praias de água doce em acampamentos na região.

Por volta de 1h40, segundo informações da Polícia Civil, Fernandão e quatro amigos levantaram voo em direção a Goiânia. Pouco depois, o helicóptero caiu às margens do Araguaia – 20 km ao sul da decolagem. Os quatro amigos morreram no local e Fernandão, inconsciente e com diversos ferimentos, foi levado ao hospital de Aruanã, onde faleceu pouco depois de ser atendido.

As outras vítimas do acidente são: Edmilson de Souza Leme, Antônio de Pádua, Lindomar Mendes Vieira e o piloto Milton Ananias.

Fonte: Correio do Estado

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *