Beleza e Saúde

ANTICONCEPCIONAIS, QUAL ESCOLHER?

Ginecologista e obstetra Denise Vasconcelos tira algumas dúvidas sobre como escolher adequadamente um anticoncepcional, principalmente, hoje em dia com a variedade de métodos disponíveis.

anticoncepcional
ROBERTA FONTELLES PHILOMENO – Qual o melhor método anticoncepcional que dispomos, hoje em dia?
DENISE VASONCELOS – O principal é identificar qual o melhor método para cada mulher: anel vaginal, adesivos semanais, DIU liberador de hormônios e os clássicos orais (pílulas) e injetáveis. Devem ser avaliados os sintomas pré- menstruais da paciente, os efeitos colaterais que ela apresenta ao método e a comodidade de usar diário, semanal, mensal.

RFP – Existem restrições ao uso do anticoncepcional

DV – Hipertensas, diabéticas, tabagistas, pessoas com doenças na coagulação do sangue e quem sofre de doenças hepáticas apresentam contraindicações absolutas ou relativas. Isso deve ser avaliado pelo ginecologista para ver qual o melhor para aquele caso. E têm àquelas que não podem usar de jeito nenhum, como quem apresenta histórico de câncer ginecológico, por exemplo.

RFP – Com os avanços da tecnologia, os contraceptivos dão menos efeitos colaterais?
DV – Os efeitos colaterais estão relacionados com a fase de adaptação. Retenção de líquidos, dores na mama (mastalgia) e sangramentos irregulares podem acontecer em qualquer método. No caso da pílula, por exemplo, temos sintomas de náuseas, vômitos, alterações de apetite. O aumento de peso pode acontecer devido à retenção de líquidos, mas nada em grande quantidade como algumas pessoas relatam. Nesses casos pode haver algum problema metabólico que contribua para o ganho de peso.

RFP – Não menstruar é seguro e vantajoso?
DV – Existem algumas mulheres que preferem métodos de uso contínuo porque menstruar, para elas, é um tormento. Ficam muito indispostas, sentem dores terríveis, alterações de humor, sangramento exagerado. Quando isso começa a diminuir a qualidade de vida da mulher, realmente precisa de tratamento, suspensão da menstruação. Além disso, existem àquelas mulheres que simplesmente não desejam mais menstruar e assim o fazem sem nenhum prejuízo. Cada caso deve ser avaliado pelo médico e ele decide qual a melhor medicação a ser usada para cada perfil.

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *