Beleza e Saúde

LIPOABDOMINOPLASTIA EM ALTA

 

0504CS2501
Os avanços nas técnicas cirúrgicas estão popularizando a lipoabdominoplastia

A lipoabdominoplastia está em alta. Cirurgia procurada por homens e mulheres que sonham com um abdômen perfeito. O procedimento é um dos destaques da revista OPOVO Ciência e Saúde 2015 e tema do Simpósio Pontos Quentes em Lipoabdominoplastia, na 2a Reunião Científica, realizado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – Regional CE.

O cirurgião plástico Ageu Brasil (CRM-CE: 3578/ RQE: 3085) diz que a cirurgia plástica do abdome vem evoluindo durante várias décadas, havendo modificações nos tipos de incisões e novas abordagens. “O ultimo grande avanço deste tipo de cirúrgica aconteceu com o advento da lipoaspiração, passando a fazer parte importante do processo”.

 “Nós dividimos a plástica abdominal em três etapas. A primeira a lipoaspiração. Segunda a plicatura (costura) dos músculos reto abdominais e a terceira com retirada do excesso de pele. “Começamos a cirurgia com a lipoaspiração da região supra umbilical do abdome (acima do umbigo), flancos e dorso (costas). Essa lipo vai modelar a cintura e emagrecer as costas e o abdome superior”.

Após a lipo, segundo o cirurgião, é realizado o descolamento da pele acima do umbigo até o apêndice xifoide e costelas para a retira do excesso de pele. “Com a retirada da pele infra-umbilical e descolamento da pele supra-umbilical, expomos os músculos da parede abdominal”. É nesse momento que acontece a plicatura dos músculos reto abdominais que “consiste em reposicionar os bordos desses músculos que estão separados e flácidos com pontos de nylon na linha média abdominal”. A plicatura e reposicionamento dos músculos impedem o abaulamento do abdômen, deixando-o plano, e a lipo proporciona uma cintura esculpida.

0504CS2503

Usar cinta é fundamental após a lipoabdominoplastia, em homens e mulheres

Para garantir o sucesso da cirurgia, o cirurgião aconselha ao paciente obedecer os cuidados pós operatórios. “Ficar 24h de cinta, não dirigir, andar um pouco curvado e não fazer esforço físico nos primeiros 30 dias. Atividade física começa com caminhada depois de 30 dias, correr e bicicleta com 60 dias, musculação de membros superior e inferior com 90 dias e, qualquer tipo de esporte com 120 dias”.

Para complementar e agilizar o resultado, Ageu Brasil indica, no mínimo, 10 sessões de Fisioterapia a partir de quinto ao sétimo dia, após a cirurgia. “Momento em que será realizada a drenagem linfática com ultrassom e radiofrequência”. Após os primeiros meses, a radiofrequência pode ser usada em uma intensidade maior para dar mais firmeza à pele, se for necessário.

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 12 =