Beleza e Saúde

Cirurgião plástico Ageu Brasil esclarece controvérsias na cirurgia plástica da face e pescoço

 

1309CS2502

Cirurgião plástico Ageu Brasil

 A cirurgia da face, lifting facial, assim como qualquer outra cirurgia plástica em outras regiões do corpo, possui dezenas de técnicas e tipos de abordagem para resolver o problema. Isso se deve a evolução das técnicas cirúrgicas que vai se modificando para tentar chegar aos melhores resultados. “Quanto mais difícil se conseguir um bom resultado, mais técnicas a cirurgia terá”, avisa Cirurgião Ageu Brasil (CRM 3578 RQE 3085).

 

Com muitas técnicas para se resolver um problema surgem as controvérsias entre os cirurgiões que, no lifting facial e pescoço, os três pontos de maior discusão que foram tema no último Congresso Internacional, realizado em São Paulo. “Os congressos são importantes para discutirmos as diferenças e tentarmos chegar a melhor técnica, em um consenso”, diz.

 

Para Ageu Brasil, a primeira polêmica da cirurgia da face diz respeito ao excesso de pele nas pálpebras, de onde de um modo simplista, o cirurgião plástico ou oftalmologista (que agora está operando pálpebras ) retira pele e bolsas gordurosas. “Esse problema do envelhecimento da face vai muito mais além da flacidez nas pálpebras. A principal causa pode está nas sobrancelhas caídas, aumentando o volume de pele nas pálpebras superiores”, explica o cirurgião.

A solução do problema envolve tanto a elevação das sobrancelhas (“existem dezenas de técnicas para isso”) e a retirada de pele e gordura, se necessário. “A simples retirada de pele das pálpebras superiores, quando o paciente tem queda das sobrancelhas, agrava o olhar triste, tirando a chance de rejuvenescimento da região”, observa.

1309CS2503

 

 O segundo ponto da cirurgia da face se refere ao lifting facial em um ou dois planos. “A plástica de rugas (lifting facial) em um plano significa só o estiramento da pele. Em dois planos significa o estiramento do plano profundo (tratamento dos músculos faciais) e o acentamento e retirada do excesso de pele de maneira que ela se acomode sem tensão, dando um resultado mais natural e duradouro”. Ageu Brasil revela que mais de 70% dos congressistas concordaram que têm de se fazer o lifting em dois planos (trabalhar com músculos e pele). A controvérsia ficou em como fazer. “Sem entrar em detalhes da técnica, parece que o melhor resultado está no descolamento dos músculos (mais profundo ), retirada do excesso e suturá- los em um ponto fixo”. O cirurgião acrescenta que foi apresentado um trabalho em que dar pontos na própria gordura, que os cirurgiões chamam de plicatura, se desfaz em três meses e os resultado da cirurgias facial são menos duradouros.
 O terceiro ponto está no pescoço,na glandular submandibular”, que forma aquela bolsa caídas no bordo da mandíbula que tira sua regularidade e envelhece. “Alguns cirurgiões propõem a retirada da glandular para delinear o bordo da mandíbula e rejuvenecer o pescoço”. A retirada da glândula envolve táticas cirúrgicas inovadoras para evitar a lesão do nervo facial que está próximo e que pode causar paralisia facial importante, na região da boca. “Poucos cirurgiões estão se aventurando à inovação, mas se com o tempo se comprovar a eficácia da metodologia com poucos riscos para o paciente, mais uma técnica se consolidará melhorando nossos resultados”. E assim a cirurgia plástica evolui, a ciência evolui proporcionando bem estar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *