Beleza e Saúde

Em entrevista exclusiva, Sabrina Sato se revela ulrafeminista e luta por menos cobranças às mulheres

160918_cosmopolitan_0-249

Sabrina Sato realizou para a revista COSMOPOLITAN de novembro um super ensaio em Beirute, a capital libanesa, em uma viagem que a reconectou com as raízes da família de seu pai.

Em entrevista à edição que chega às bancas dia 4, a apresentadora — que além do carisma se vale também de sua extraordinária beleza e sensualidade para conquistar uma admiração quase unânime — afirmou à COSMO que nunca se enxergou como uma figura feminina objetificada. “Quando a pessoa é natural, brinca e não se leva a sério, o público entende. Não tenho vergonha de pagar mico, e hoje as mulheres estão mais assim, falam o que pensam e estão menos encanadas”, falou a musa.

Perguntada pela COSMOPOLITAN, Sabrina também revelou que se considera feminista. “Sou bastante, faz parte da minha atitude. A luta pelo direito das mulheres mexe comigo”, contou. Sempre a mil, a apresentadora faz planos para, no futuro, trabalhar com projetos que reflitam sobre as atuais condições da mulher. “Temos que nos encaixar, ser isso, dar conta daquilo, ter bundão. Quando na verdade não temos que nada!”, refletiu. “Penso até em fazer um documentário, no YouTube ou na Netflix, sobre as mulheres e a cobrança que a gente sofre.”

Sobre o seu namoro com o ator Duda Nagle, ela garante estar mais madura com os relacionamentos passados e que aprendeu a importância de exercitar a comunicação do casal para não deixar nenhuma aresta mal aparada. “Antigamente esperava o rela­cionamento se esgotar para terminar”, relembra. “Por anos ia aguentando e me segurava. Hoje, se não gosto de alguma coisa, converso. Entendi que dá para fazer DR sem causar uma crise. Casal que se conhece bem tem mais química’, diz.

Confira a entrevista completa na COSMOPOLITAN de novembro.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *