Beleza e Saúde

BALÃO GÁSTRICO PARA EMAGRECER, INDICA MÉDICO ENDOSCOPISTA JOÃO PAULO

0701bu0208

O balão gástrico não é algo novo, só que no final de 2016 e começo deste ano aumentou e muito a procura por este tipo de método de emagrecimento. Uma das razões é que o procedimento é considerado simples, realizado com sedação do paciente semelhante à de uma endoscopia, e temporário, bem diferente da cirurgia bariátrica, um método definitivo.

“O paciente acorda depois de cerca de 15min já com o balão intragástrico”, com a sensação de quem comeu muito, estômago cheio, explica o médico endoscopista bariátrico João Paulo (CRM 9886 / RQE 5962), da Première Medicina e Saúde, que viu a procura pelo método “explodir”, a partir do mês de novembro passado.

0701bu0207

NOVO ESTILO DE VIDA

O balão fica dentro do estômago por seis meses. Tempo suficiente para que o paciente faça uma reeducação alimentar e mude os hábitos de vida. “Depois dos seis meses, realizamos um novo procedimento, com nova sedação, em que o balão é retirado”.  Tanto a colocação, quanto a retirada do balão são realizadas na Première.

E não é só colocar o balão intragástrico que tudo está resolvido, não. “Não adianta só segurar a boca, a pessoa tem de recorrer a um tratamento mais amplo, com psicólogo, endocrinologista, nutricionista e praticar exercícios físicos”, aconselha endoscopista bariátrico João Paulo.

MECANISMOS DE AÇÃO DO BALÃO

–  Mecânico: O balão enche e distende o estômago. A pessoa se sente saciada e a distensão libera um hormônio que deixa a digestão mais lenta e, consequentemente, a comida demora mais a ser digerida.

– Neurológica: o balão encosta na parede do estômago e neurotransmissores enviam sinais para o sistema nervoso central de que o paciente está saciado.

INDICAÇÃO

O médico endoscopista bariátrico João Paulo (FOTO) indica a introdução do balão gástrico em pessoas com IMC (índice de massa corpórea) a partir de 27. “O balão proporciona uma redução na ingestão de novas rotinas de alimentação com diminuição de 20% a 30% do peso corporal”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *