Beleza e Saúde

TENDÊNCIAS FOODS: DE ROMÃ AO CALDO DE MOCOTÓ, UMA VERDADEIRA FESTA SAUDÁVEL

1 – Viajar é sempre muito bom, renova as energias e alarga os horizontes, ficamos por dentro das tendências não só em moda, mas também no mundo dos alimentos. Ganham destaque, nos Estados Unidos, comer chocolate no café da manhã e romã in natura, que virou mania adolescente depois que Kylie jenne surgiu, no reality Keeping Up With the Kardashians, comendo a frutinha. Você encontra romã em supermercados como Walmart, facilmente. O carneiro é outra tendência, por ser rico em proteína e colágeno, assim como os coquetéis ZERO álcool ao lado dos burgers veganos.

FOTOS DIVULGAÇÃO

2 – Os coquetéis ZERO álcool ganharam carona na onda fitness, de pessoas que desejam ganhar músculos e perder gordura. O álcool atrapalha nesse processo, prejudicando, principalmente, a perda de gordura. E é justamente aí que as bebidas sem álcool e os refrigerantes saem de cena e dão lugar aos chamados “mocktails”, que usam conceitos da mixologia (a arte de misturar bebidas e sucos). Ganham destaque as águas gaseificadas (beba com moderação, pois estimula o surgimento de celulite), chás (o de hibisco e cavalinha são os preferidos), infusão de especiais e ervas. Veja receita no outro post, abaixo.


FOTOS DIVULGAÇÃO

3 – Para acompanhar os “mocktalis”, principalmente em eventos, em sua clínica, para manter seus pacientes em forma, os burgers veganos são perfeitos. Uma tendência que veio para ficar, nos Estados Unidos, soprando da Europa, principalmente da Alemanha, onde se fala da veganização do país europeu. A proteína de origem vegetal conquistou até os onívonos que desejam diversificar a nutrição e impulsionam o crescimento dos açougues veganos, digamos assim, com burgers de ervilha, milho, cogumelo… No livro “Vegan for Fun”, do festejado autor alemão Attila Hildmann, tem receitinhas ótimas para deixar nossa vida mais alegre e colorida.

FOTOS DIVULGAÇÃO

4 – A sardinha, um peixe que apreciamos como aperitivo, no Brasil, ficou chique, mesmo as de latinha. É um peixe rico em ômega 3, poderoso, é capaz de baixar o risco de infartos, saboroso e de gosto agradável (sabor umami, um dos cinco gostos básicos do paladar humano, como o doce, azedo, amargo e salgado). O sucesso é tanto que marcas alimentícias estão investindo em diferentes formas de enlatados.

FOTOS DIVULGAÇÃO

5 – Outra iguaria bem brasileira, melhor, bem nordestina, é o carneiro. Os americanos estão investindo não só na carne, cujos benefícios são relatados até na Bíblia Sagrada por se tratar de uma carne magra, rica em proteína e com menos gordura do que o frango, mas também no leite de cabra, superforte, e no brodo (caldo feito a partir dos ossos do animal, rico em colágeno, cálcio, fósforo, magnésio, potássio e compostos anti-inflamatórios).

6 – Confesso que o tal caldo, que provoca filas em Nova York, nos restaurantes East Village e Brodo, na 200 First Avenue, e no Belcamp, só de olhar, deixou-me um pouco enjoada. Mas se faz bem à pele, ajuda a emagrecer, a reduzir medidas, aumenta a saciedade e é um ótimo alimento antienvelhecimento, então, por que não provar?

7 – Se você não tem os ossos do carneiro para fazer o tal brodo, faça de mão de vaca, o caldo de mocotó, o tradicional caldo nordestino, proveniente da cozinha ancestral, que há tempos faz sucesso no Mercado Central de Fortaleza (só que menos gorduroso). Surte o mesmo efeito. E se lhe chamarem de brega, mostre a nossa matéria ou outras notícias, na Internet, de como o brodo (caldo de mão de vaca, de mocotó, como queira chamar), ficou chique e foi rebatizado de shots de brodo (veja receita no outro post, abaixo).