Beleza e Saúde

CONTROVÉRSIAS NA CIRURGIA PLÁSTICA DA FACE E PESCOÇO, COM AGEU BRASIL

CUIDADOS_CIRURGIA DA FACE

“Nos congressos, tentamos discutir as melhores técnicas e tentamos chegar a um consenso”. Cirurgião plástico Ageu Brasil

A cirurgia plástica no rosto, assim como qualquer outra cirurgia em outras regiões do nosso corpo, possui dezenas de técnicas e tipos de abordagem para resolver o mesmo problema. Isso se deve a evolução das técnicas cirúrgicas que vão se modificando para tentar chegar a melhores resultados.

E é justamente na multiplicidade de técnicas para se resolver um problema que surgem as controvérsias entre os cirurgiões. “Nos congressos, tentamos discutir as melhores técnicas e tentamos chegar a um consenso”, revela o cirurgião plástico Ageu Brasil (CRM 3578 / RQE 3085), que revela para nós três pontos das principais controvérsias.

1 – Excesso de pele nos olhos: “A solução é elevar as sobrancelhas (existe dezenas de técnicas para isso) com a retirada de pele e gordura das pálpebras. “O procedimento simplório de retirada de pele da pálpebra superior, quando o paciente tem queda das sobrancelhas, agrava o olhar triste do paciente, tirando a chance de rejuvenescimento da região”.
2 – Lifting facial em 1 ou 2 planos. A plástica de rugas em 1 plano significa só o estiramento da pele. Em 2 planos, significa o estiramento do plano profundo (músculos) e o estiramento da pele, a queridinha dos cirurgiões. “A maior controvérsia ficou em como fazê-lo. Sem entrar em detalhes, parece que o melhor resultado está no descolamento do segundo plano (mais profundo), retirada do excesso, e suturá- lo em um ponto fixo da face”.
3 – Pescoço e a glandular submandibular. Alguns cirurgiões propõem a retirada da glândula que forma uma bolsa caída, no bordo da mandíbula, para delinear a mandíbula e rejuvenescer o pescoço. “Poucos cirurgiões estão se aventurando a retirada da glândula, porque envolve táticas cirúrgicas inovadoras para evitar a lesão do nervo facial, que está próximo e que pode causar uma paralisia facial importante na região da boca”, adverte Ageu Brasil.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *