Beleza e Saúde

DE OLHO NO DIABETES, SILENCIOSO E PERIGOSO, ALERTA OFTALMOLOGISTA DAVID LUCENA

O exame de fundo de olho é fundamental para quem tem diabetes

1 – As pessoas têm medo de serem atingidas por bala perdida, de serem assaltadas, medo de câncer, mas não têm medo do diabetes. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a doença atinge 16 milhões de brasileiros (8,1%) e mata 72 mil pessoas, por ano, mais do que câncer e AIDS somados.

2 – O diabetes é perigoso por ser uma doença crônica e os sintomas silenciosos, só aparecem quando o diabetes já está em estado avançado e já danificou alguns órgãos do nosso corpo, muitas vezes, de forma irreversível.

Médico oftalmologista David Lucena

3 – É inacreditável, mas muitos pacientes que recebem o diagnóstico de diabetes ficam aliviados. Como assim? “É rotina pegarmos pacientes diabéticos que estão diagnosticados, recentemente, e chegam à clínica bem de saúde. Só que, passado algum tempo, entram em meu consultório depredados, fazendo hemodiálise, tendo feito cateterismo, se submetido à cirurgia cardíaca, com dedo ou pé amputado, problemas de visão e até cegueira”, lamenta o médico oftalmologista David Lucena, do Centro Avançado de Retina e Catarata.

4 – “A doença atinge, inicialmente, os pequenos vasos sanguíneos e os menores do nosso corpo se localizam na retina”, explica David Lucena. Quando a doença atinge a retina, mesmo ainda não tendo alteração visual, a retinopatia diabética, David Lucena recomenda ao paciente procurar outro médico para a avaliação dos rins, dos membros inferiores do corpo, fazer exames no cérebro, no coração… “porque a doença pode está atingindo os vasos sanguíneos desses outros órgãos”.

Numa simples consulta de troca de óculos, o médico oftalmologista é capaz de avaliar a saúde do corpo como um todo

5 – Por isso, é tão importante a consulta ao oftalmologista no momento da troca dos óculos. “Na consulta, realizamos o exame de fundo de olho para vermos se tem micro aneurismas. Se existirem lesões, solicitamos a angiografia fluoresceinica para vermos se está tendo vazamento na mácula. A tomografia de coerência óptica para analisarmos se está tendo espessamento na mácula. E com o exame de retinografia, fotografia do fundo do olho, acompanhamos, anualmente, o diabético e fazermos as comparações”, explica o oftalmologista.

6 – Os tratamentos para o diabetes, que já atingiu a visão, podem ser clínicos ou cirúrgicos. “Injeção intraocular, laser ou cirurgia…”. O oftalmologista David Lucena alerta que se as lesões não forem tratadas no tempo certo podem levar à perda da visão. “O diabetes não controlado e as lesões provocadas pela doença não tratadas podem levar à cegueira irreversível”, lamenta o oftalmologista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *