Beleza e Saúde

Tratamento de calvície, com cirurgião plástico Fernando Basto

 

 

 

Herança genética, problemas hormonais, processos químicos de coloração e alisamento, o uso de megahair sem as devidas precauções e o estica e puxa das escovas, nos salões de beleza, são fatores que vêm contribuindo para o aumento de problemas capilares e queda de cabelo que podem levar à calvície, entre homens e mulheres. “Queda de cabelo é causada, principalmente, por herança genética. Só que, além da hereditariedade, podem provocar a queda de cabelo o estresse, doenças dermatológicas e também a seborreia, que potencializa e muito a queda em pacientes que têm herança genética favorável à perda de fios”, alerta o cirurgião plástico badaladíssimo Fernando Bastos, de Pernambuco, que atende na Derme & Laser, na Clínica Haim Erel.

Em relação às mulheres, Fernando Bastos explica que muitas estão passando por uma fase difícil, pois a calvície impacta muito mais na mulher do que o homem. “É o exagero de química feita no salão”, constata e emenda: “Claro que a mulher pode fazer procedimento químico no salão, até porque ela quer ficar bonita e o cabelo é a moldura do rosto. Mas, se ela exagerar, no futuro, pode se arrepender”. Procedimentos químicos agridem a raiz do cabelo. “Temos tintura, escova progressiva, alisamento… Todas essas químicas vão prejudicar o cabelo de acordo com a complexidade e a fragilidade capilar”, diz o médico.

E até a aparente inofensiva escova feita no cabelo, toda semana, favorece a queda. “Existe uma doença chamada alopecia por tração que é exatamente o puxar do cabelo de maneira excessiva. Pessoas que trabalham com o cabelo muito preso evoluem para essa doença por conta da tração no cabelo diariamente, como as modelos que fazem muita escova no cabelo. É importante não prender o cabelo com muita força, porque isso pode prejudicar a sobrevida da raiz”. Pois é…

E, o pior: muitas vezes, a queda está muito acentuada e só o implante capilar resolve para corrigir definitivamente a calvície. “O implante capilar tem sido efetivamente utilizado para o tratamento da calvície masculina e feminina. Podemos também utilizar a técnica para corrigir falhas nas sobrancelhas, barba, bigode e demais regiões do corpo”, acrescenta o cirurgião plástico e professor Fernando Bastos, de reconhecimento nacional e internacional.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *