Éshow!

Maestro João Carlos Martins, Ricardo Bacelar e Lia Veras apresentam concerto “Orquestrando Emoções” no Teatro Tapera das Artes em Aquiraz

Maestro João Carlos Martins, Ricardo Bacelar e Lia Veras apresentam concerto “Orquestrando Emoções” no Teatro Tapera das Artes em Aquiraz  

O concerto faz parte da 4ª temporada do projeto Encontro Mestre & Aprendiz Almas Gêmeas, no dia 16 de janeiro, quinta-feira, às 17h

A Tapera das Artes recebe em mais um “Encontro Mestre & Aprendiz Almas Gêmeas” em seu Teatro e Centro Cultural, localizado na cidade de Aquiraz, região metropolitana de Fortaleza, o concerto “Orquestrando Emoções” com o Maestro João Carlos Martins, um dos músicos brasileiros mais celebrados do país; o pianista, compositor e arranjador Ricardo Bacelar e a cantora Lia Veras.

O projeto, que está em sua quarta edição, possibilita o amplo diálogo com mestres consagrados da música instrumental brasileira e aprendizes envolvendo diversas instituições do Estado do Ceará, para sentir, conviver, trocar, compartilhar e convalidar processos formativos dos estudos de educação musical infantojuvenil, o desempenho artístico e musical propiciando trocas significativas a fim de relevar as riquezas de um Brasil de talentos. O concerto será realizado no dia 16 de janeiro, quinta-feira, às 17h.

O Encontro abre um diálogo entre mestres e aprendizes de diversas instituições do Ceará, a partir da cidade de Aquiraz, através de concertos e de uma série de encontros artísticos pedagógicos, envolvendo um público expressivo de crianças, adolescentes e jovens, fazendo a conexão entre músicas clássicas e o regionalismo musical expressado na cultura cearense. “Da cidade ao sertão, do sertão à cidade, uma Fortaleza une a musicalidade de gigantes. São almas que se afinam, agregam e nos emocionam, pois, a genialidade dessas almas em serem gêmeas nos coloca com voz no mundo”, descreve o maestro Ênio Antunes, diretor artístico do projeto.

A programação é uma realização do Centro de Pesquisa e Difusão da Arte – Imaginário e o Ministério do Turismo, em parceria da Enartes – Música Meta Educação & Marketing Cultural e recebe o patrocínio da Usibras, FAN, M. Dias Branco,  Fresenius-Kabi, Banco do Nordeste, Casas Freitas, Acal, Freitas Varejo, Azul, Roca, Cegás,Cagece, Avine, Ortobom,  Dakota, Casa Pio, Eletra Energy e agradecimento especial Enel.

Sobre João Carlos Martins

João Carlos Martins ocupa um lugar ímpar no cenário musical brasileiro, tendo sido considerado um dos maiores intérpretes de Bach do século XX pela crítica internacional, do qual registrou a obra completa para teclado. Nasceu em São Paulo, no dia 25 de junho de 1940, e iniciou seus estudos de piano aos oito anos com o professor José Kliass; aos treze iniciou a sua carreira no Brasil e aos dezoito no exterior.

Seus concertos no Carnegie Hall, após a sua estreia aos 21 anos em apresentação patrocinada por Eleanor Roosevelt, sempre tiveram lotação esgotada.

Suas gravações estiveram muitas vezes entre as mais vendidas e jornais como New York Times, Washington Post e Los Angeles Times sempre dedicaram reportagens entusiasmadas pela sua personalidade artística. Abandonou definitivamente os palcos como pianista no ano de 2002 por problemas físicos. Em 2004 iniciou os seus estudos de regência. Apresentou-se com sucesso em Londres, Paris e Bruxelas como regente convidado, imprimindo em suas interpretações a mesma dinâmica que o fez quando pianista. Em 2006 idealizou a Fundação Bachiana, cujo tema é a arte e sustentabilidade.

É o único músico brasileiro que teve a sua vida registrada por cineastas europeus por duas vezes, Die Martin’s Passion, uma co-produção franco-alemã dirigida por Irene Langman, assistido por mais de um milhão e meio de pessoas na Europa e vencedor de vários festivais internacionais, e Revêrie dos cineastas belgas Johan Kenivé e Tim Herman. A TV Cultura realizou um documentário dirigido por José Roberto Walker denominado “O piano como destino”, exibido em vários países.

João Carlos Martins construiu uma sólida carreira com a sua Bachiana Filarmônica SESI-SP, a primeira orquestra brasileira a se apresentar em janeiro de 2007 no Carnegie Hall, feito repetido em 2008. João Carlos e sua Bachiana retornaram a Nova York em 2009 e 2010, desta vez no Lincoln Center, levando mais uma vez o nome do Brasil para plateias internacionais. Em 2011 voltou aos Estados Unidos com concertos no Broward Center em Fort Lauderdale, e no Avery Fisher Hall do Lincoln Center em Nova York, levando desta vez como convidados ritmistas da Escola de Samba Vai-Vai, e juntos mostraram em concertos emocionantes a influência africana e sua contribuição definitiva, desde quando escravizados no Brasil, o que ajudou a formação de nossa identidade musical.

Em 2013 emocionou o público novaiorquino com os concertos brandeburgueses de J. S. Bach. Neste ano, a família Barreto através da direção de Mauro Lima, iniciou as gravações do filme “João”, cujo lançamento está previsto para o início de 2017, com alguns dos principais atores de nosso país.

Sobre Ricardo Bacelar

Pianista, compositor e arranjador, Ricardo Bacelar é produtor de discos e amante da música brasileira. Nos anos 1980 e 1990, integrou o grupo carioca Hanoi Hanoi, que deixou forte marca no cenário brasileiro, cujos temas foram regravados por Caetano Veloso, Ney Matogrosso, Cazuza, Simone, Marisa Monte, Gilberto Gil, entre outros. Durante os 11 anos em que participou do Hanoi Hanoi, tocou em quase 1.500 concertos, ao mesmo tempo que produzia álbuns e trilhas para cinema, TV e publicidade.

Em discos solos, lançou “In natura”, um álbum intimista que contava com as participações de Belchior, Frejat (Barão Vermelho) e dos próprios colegas do Hanoi Hanoi. Já o segundo disco, “Concerto para Moviola”, foi gravado ao vivo em um festival de jazz, junto com oito músicos, apresentando repertório de fusion e música brasileira. Lançado em 2016 no Brasil e também nos Estados Unidos, o álbum foi muito bem recebido pela imprensa e rádios americanas da área do jazz.

 

“Sebastiana”, o terceiro álbum, foi gravado em julho de 2017, com produção de Cesar Lemos (com discos premiados pela BMI e ASCAP, nos EUA), gravado e mixado em Miami, no lendário estúdio Hit Factory (Criteria) e Rebel 11. Concebido com o intuito de apresentar uma releitura latino-americana de uma parte do repertório da música brasileira. “Sebastiana” foi gravado por músicos brasileiros, norte-americanos, cubanos, argentinos, venezuelanos, colombianos e peruanos. Após uma intensa pesquisa de ritmos tradicionais, foi alvo de arranjos capazes de efetivar a fusão de elementos da música latino-americana com a música brasileira. Traz arranjos contemporâneos e um forte acento jazzístico, com uma percussão sutil, que afirma a influência da América do Sul. O resultado é inusitado e apresenta uma importante contribuição para o cenário da música brasileira no contexto internacional. O disco ficou entre os 50 álbuns mais executados nas rádios de jazz dos EUA e entre os TOP 100 durante mais de 15 semanas, com extensa repercussão internacional na imprensa especializada, que lhe rendeu concertos na Europa e Japão.

 

Ricardo Bacelar também é produtor de discos, especialista em direitos autorais e membro votante da Academia Americana de Gravação (Grammy Pro e Grammy Latino).

 

Sobre Lia Veras

 

Lia Veras Lima é natural de Fortaleza. Iniciou sua vivência musical em 1994 cantando na Obra Lumen de Evangelização, grupo vinculado à Igreja Católica de Fortaleza. Em 1996 participou do Grupo Vocal Etc e tal, projeto de extensão da Universidade Estadual do Ceará (UECE). Em 1997 ingressou no Coral do Povo, grupo de canto coral mantido pela Fundação Demócrito Rocha sob a regência da maestrina Aparecida Silvino. Identificando-se com a atividade musical, prestou vestibular e foi aprovada para o curso de Licenciatura em Música da Uece, em 1998.

 

Atualmente Lia Veras estuda piano popular. Como cantora e professora de canto, desenvolve pesquisas de repertório em cultura popular e música brasileira dos compositores Chico Buarque, Tom Jobim, Luiz Gonzaga, Belchior e Dominguinhos entre outros grandes nomes da música nacional.

 

Sobre o projeto “Encontro Mestre & Aprendiz” – Almas Gêmeas

 

Idealizado para possibilitar a aproximação de jovens aprendizes com nomes consagrados da música instrumental, o projeto “Encontro Mestre & Aprendiz – Almas Gêmeas” oferece ações educativas que resultam em concertos interativos. A programação artística do Encontro contou ao longo do ano de 2019 com a participação de 16 mestres convidados, sendo 14 atrações nacionais e duas internacionais. Realizado mensalmente, o Projeto tem ações que ocupam diferentes espaços, contemplando um público amplo. Atuando, assim, não apenas na formação dos aprendizes, mas também com foco no público geral interessado pela música em seus aspectos sonoros e teóricos.

 

Associação Tapera das Artes 

A música sempre foi a grande paixão de Ritelza Cabral, idealizadora da Instituição Tapera das Artes. Em 1993, iniciou voluntariamente ateliês com 30 crianças e adolescentes oriundos de famílias de baixa renda do distrito de Tapera, no município de Aquiraz, ocupando as mangueiras de seu sítio. O trabalho logo criou corpo e em pouco tempo já existiam 60 crianças abrigadas nas sombras dos manguezais, e os sons dos pífaros repercutiam intensamente, encantando rendeiras, pescadores, agricultores e familiares dos pequeninos músicos.

 

O sucesso que o programa gerou na comunidade possibilitou em pouco tempo a sua expansão, propiciando nos anos seguintes a inclusão de novas ações educativas, com atividades voltadas para o desenvolvimento de diversas atividades artísticas. As mangueiras já não eram suficientes para abrigar os participantes e em 1996 os pequeninos estavam ocupando espaço apropriado na primeira sede da instituição. A partir daí foi possível a implantação de um programa pedagógico permanente, que gerou vários grupos musicais artísticos, dentre eles a Orquestra Bachiana Jovem de Aquiraz, criada com apoio do maestro João Carlos Martins, sob a regência do maestro Ênio Antunes. Outras conquistas merecem destaque: o Centro Cultural, parceria com a Fundação Vitae, e o Teatro Escola da Tapera das Artes, com recursos não reembolsáveis do BNDES; ambos oferecem ações formativas de relevância para a cultura no Estado do Ceará.

 

O compartilhamento é parte do DNA da Tapera das Artes, que  desde sua fundação vem cumprindo um importante papel no seu território, município de Aquiraz, litoral leste do Ceará, propiciando a formação integral, desenvolvimento do potencial humano, suas competências e habilidades,  e o enriquecimento cultural de crianças, adolescentes, jovens e seus familiares, moradores da região, com  oferta de vários projetos e programas que têm como eixo central a música, mas que trabalham a formação do ser para posturas cidadãs ao longo da vida.

 

Serviço

Encontro Mestre & Aprendiz Edição Almas Gêmeas com João Carlos Martins, Ricardo Bacelar e Lia Veras

Concerto: Orquestrando Emoções

Local: Teatro Tapera das Artes (Rua Antônio Gomes dos Santos, S/N – Centro, Aquiraz / Ao lado do Parque Ecoeducativo Engenhoca)

Informações: (85) 3361-2704 / 987548496

Data: 16/01 (quinta-feira)

Horário: 17h

Acesso Gratuito 

Retire seu Ingresso: http://ingressonow.com.br/evento/?id=360

 

Tapera das Artes

http://www.taperadasartes.org.br/

Facebook: Tapera das Artes

Instagram: @taperadasartes_

 

AD2 Engenharia de Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 5 =