Leituras da Bel

Leia “Imunda solidão de lama”, texto da escritora Sablina Cavalcante publicado no Leituras da Bel

Por Sablina Cavalcante

Arte de Sablina Cavalcante

Imunda solidão de lama
que eu me banho
mesmo que haja tanta podridão
ela é minha.
fico assim fedendo quanto ela.
ninguém suporta o meu eu
por isso
jamais sei o que és estar longe de ser,
menos ou mais
que só .
As estrelas
silenciosas
longe e misteriosa
silenciosa
mística,
conseguem serem mais minha amiga
que o resto do mundo.
Não penso que sejamos
mais sozinhos,
mas sinto
que apenas isso sou!
Se isto for loucura,
só a morte resolverá.
No mais,
arriscarei viver
mesmo tão insolente,
infeliz
e amarga.
Se não são capazes de dar o amor que dou
não será por eles
que irei.
Se for pra ir
para nunca mais,
vai ser por mim!
Vai ser
por não aguentar
o eu de
mim mesma;
afinal,
apenas eu
me tenho com toda sensatez,
igualdade,
do que dou
e sou.

***

Sablina Moreira Cavalcante tem 19 anos. Começou indo contra as regras da escrita desde o meu nome. Quer ser livre e escrever assim também. Cearense e mulher na busca de nunca silenciar sua autonomia. Escreve desde os 14 anos, embora só tenha considerado seu processo criativo anos depois. “Não é fácil aceitar ser o que se é, mas estou cada vez mais aceita”, diz.

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *