Blog do Vozão

Fala torcedor!

683 31
Pé no chão. (Imagem: Sou Mais/Divulgação)

Pé no chão. (Imagem: Sou Mais/Divulgação)

Caros alvinegros, depois de um longo tempo, enfim, a sessão fala torcedor está de volta ao Blog. O texto da vez foi escrito pelo alvinegro Bebeto Lima e transcreve os questionamentos que é feito por torcedores do Vozão, bem como o atual momento por que passa o Clube. Então, que fale o torcedor!

Pé no chão

Frase que marca uma gestão e de certa forma, também o torcedor alvinegro: ”O Ceará não entra em leilão por jogador e nem faz loucuras com o dinheiro do clube?” 

Tem sido essa a máxima e política desde que assumiram o clube os senhores; Evandro leitão e Robinson de Castro. Mas o que isso trouxe de benefício ou malefício ao Ceará é o que quer saber o torcedor alvinegro?

Se é justo não vem ao caso, fica para outro debate, mas quem senta na cadeira da presidência de um clube de massa como o Ceará tem a obrigação de saber que, goste ou não e, concorde ou não, o futebol só contabiliza mesmo títulos e conquistas. É só isso que conta para o apaixonado torcedor.

Eventualmente, de forma modesta, ele até comemora a compra de um CT, a construção de um Hotel ou uma nova roupagem na fachada na sede. Sem duvida, tudo isso é importante e faz parte de um grande contexto. Mas o que ele quer e vai cobrar sempre dos seus dirigentes é a montagem de um time forte e qualificado para poder brigar por títulos e acessos. Ou seja, tudo o que o Ceará de 2015 não lhe deu!

A três jogos sem vencer e sob o comando “científico” e enigmático de Marcelo Cabo, o Ceará tem agora que vencer sete dos onze jogos que faltam para evitar um rebaixamento que para todos, inclusive para o futebol cearense, seria desastroso e traumático.

Para os amigos, para os mais próximos da diretoria, ou mesmo para os que dela em algum momento fizeram parte, tudo não passou de uma grande falta de sorte ou, quem sabe, excesso de confiança combinado com sucessivos erros de arbitragem? Para alguns outros, no entanto, o que houve mesmo foi arrogância, vaidade e muito orgulho por parte dos atuais dirigentes que optaram pelo isolamento. Tem também a corrente que acha que o problema foi incompetência mesmo. E que por ter outros afazeres e projetos pessoais mais importantes para tocar, nosso presidente foi obrigado a delegar poderes a pessoas totalmente despreparadas para a função e deu no que deu!

De tudo isso, a única coisa de que tenho certeza é que o Ceará mais do que nunca vai precisar e depender muito da companhia e do apoio do seu torcedor para tentar sair dessa. E sei, também, que se o clube for mesmo rebaixado, se o nome da instituição e sua história forem maculados, todos, sem exceção, que dessa gestão fizeram parte, ficarão para sempre lembrados, não pelas reformas ou estrutura deixada como bem-feitoria, mas sim como responsáveis diretos pela maior vergonha e vexame já vivido pela instituição que, em mais de cem anos de existência, nunca havia pisado na lama da série C.

Um registro curioso e ao mesmo tempo intrigante. Nunca, em tempo algum, a não ser que estejam todos mentindo, entrou tanto dinheiro nos cofres alvinegros como em 2015?!

Bebeto Lima é formado em direito na UNIFOR e alvinegro desde seu nascimento.

Saudações Alvinegras!

Recomendado para você