Clube da Luta

Coluna: Campeonato Brasileiro de Jiu-jitsu é atração neste fim de semana em Fortaleza

Fortaleza vai sediar neste domingo, dia 20, um dos principais eventos do calendário da arte-suave no País: o Campeonato Brasileiro de Jiu-jitsu Profissional GI & NO-GI, chancelado pela Confederação Brasileira de Lutas Profissionais (Celp). Para um torneio de grande porte, um palco de alto nível.

A competição ocorrerá no ginásio do Centro de Formação Olímpica (CFO), localizado na avenida Alberto Craveiro, ao lado da Arena Castelão. A organização do torneio revelou à coluna que são aguardados mais de 500 atletas, oriundos de cerca de 50 equipes.

Haverá disputas em todas as graduações (de faixa-branca e preta) nas mais diversas categorias, de base (pré-mirim, mirim, infantil, infanto-juvenil e juvenil), profissional (adulto) e veteranos (sênior, a partir de 36 anos), tanto no masculino quanto no feminino. A competição promete ser bem agitada também na disputa do Absoluto, de jiu-jitsu de quimono (GI) e ainda na disputa de submission (NO-GI).

Destaque também para as premiações, que chegam a R$ 2 mil para os campeões, além de medalhas de 24 quilates para os primeiros colocados. A programação começa as 9h e vai até as 15h. A entrada é gratuita.

Com disputas bem acirradas, o Brasileiro de Jiu-jitsu da CBLP é uma boa oportunidade para ver em ação alguns dos melhores nomes do jiu-jitsu nordestino, sobretudo os cearenses, que se destacam nas lutas agarradas.

VIVI SUCURI NO UFC CINGAPURA

Viviane Sucuri acaba de ter nova luta marcada no Ultimate. Longe do octógono mais famoso do mundo desde novembro de 2017, a atleta cearense foi escalada para lutar no UFC Cingapura, que será realizado no próximo dia 23 de junho, na cidade de Kallang. Vivi, que é natural de Tauá e representa a equipe Dragon Kombat, enfrenta a chinesa Xiaonan Yan, que tem 28 anos e um cartel de 10 lutas (8 vitórias, 1 empate e 1 No Contest).

O duelo é válido pela categoria peso-palha. Enquanto a chinesa vem embalada de vitória, Sucuri vai em busca de reabilitação, já que vem de revés para a americana Tatiana Suarez, responsável pela sua única derrota em 14 lutas de MMA.

* Reprodução da coluna de Bruno Balacó publicada no jornal O POVO desta sexta-feira, 18 de maio de 2018.

Recomendado para você