GIRO LUSÓFONO

Venezuela promove programa de formação de professores de português

Atualmente, a Upel está a formar 105 professores de idiomas estrangeiros. (Foto: natanaelginting/Freepik)

A Universidade Pedagógica Experimental Libertador (Upel) em Maracay, na Venezuela, está a promover um programa piloto voltado para a formação de professores de língua portuguesa. O objetivo da ação é atender à crescente demanda pelo ensino de português no país sul-americano.

Em entrevista à Agência Lusa, a coordenadora do ensino de línguas na Upel, Joyce Muñoz, disse que “estamos entusiasmados porque daremos resposta a uma necessidade que está contemplada na Lei de Educação de Venezuela, para incluir a língua portuguesa desde o ensino primário venezuelano. (…) A formação de professores de português é um projeto novo, único na Venezuela”, afirmou.

Atualmente, a Upel está a formar 105 professores de idiomas estrangeiros, entre eles “12 que optaram por participar nesta prova piloto de formação em português como língua docente, desde zero, a nível de pedagogia e de língua”, detalha Muñoz.

A formação tem duração de quatro anos e a estimativa é de que uma centena de professores de português tenha sido formada até 2022. “Com este programa a Upel está adicionando um grão de areia para que hajam mais professores de português, com a ajuda da Embaixada de Portugal em Caracas e o Instituto Camões”, explicou a coordenadora que acrescentou que “também estamos próximos do Brasil, que é um país de fala portuguesa, o que, para nós, desde o ponto de vista geográfico, é muito importante”, destacou Joyce.

Com informações da Agência Lusa.

Recomendado para você