Sincronicidade

Ela passa mesmo na frente

115 2

Desejo dizer a você que hoje passa por um momento difícil, por um voo turbulento em sua vida: NÃO DESANIME! Tudo é possível para o nosso Deus! Não olhe os obstáculos que estão à sua frente. Olhe para Jesus, olhe para Maria e abandone-os, um a um em Suas Mãos poderosas. “Quem se abandona a Deus não tem lugar em seu coração para a angústia”. Apegue-se a estas promessas extraordinárias de vitória que Ela lhe dá hoje! E a paz entrará no seu coração! E a Alegria virá! Você não pode experimentar a verdadeira Paz enquanto não aprender a confiar na Rainha da Paz! Lance fora as suas preocupações porque elas o afastam de Deus e de sua Mãe Maria. A Rainha da Paz quer utilizar os meios por nós jamais imaginados para entrar em nossas vidas porque Ela quer nos fazer conhecer a verdadeira Paz. Por essa razão, renove a sua esperança, e diga à Mãe que tanto o ama: “Maria, passa na frente!”

Denis Bourgerie

[Bourgerie, Denis. Uma passageira especial no voo de tua vida. Em: Denis e Suzie Bourgerie. Maria, passa na frente! 37ª. ed. Campinas, SP: Edições Logos, s/d, p. 35.]

Já tive oportunidade de escrever no Sincronicidade sobre o livro do casal Denis e Suzie Bourgerie Maria, passa na frente. O exemplar que tenho comigo é a 37ª. edição, o que deixa claro que este é um livro muito lido, tendo-o levado a ser reiteradas vezes reeditado.

Pois bem, embora já tendo escrito antes sobre ele, hoje eu não poderia deixar de mais uma vez me referir aqui a este livro. Na verdade, não é meu propósito tecer comentários detalhados sobre o seu conteúdo; como disse, já o fiz em outra ocasião. Gostaria apenas de, partindo da citação usada em epígrafe, comentar a frase que constitui seu tema principal, inclusive tendo-lhe servido de título: Maria, passa na frente!

Desde domingo passado eu vinha planejando adquirir alguns exemplares deste livro para presentear algumas pessoas. Tenho dois hábitos que, a alguns, pode parecer estranho. O primeiro, rezar pelas pessoas sem que elas me peçam. Na verdade, em diversas ocasiões rezei por pessoas que nem souberam, jamais imaginaram, que eu o tenha feito. Às vezes são pessoas conhecidas. Em outros casos, porém, trata-se de pessoas para mim totalmente desconhecidas.

Acontece com frequência de eu ir caminhando pela rua e, ao olhar para um estranho, pensar: ele está precisando de oração. Ali mesmo, enquanto caminho, faço a oração e a ofereço a Nossa Senhora e ao Anjo da Guarda daquela pessoa, pedindo que lhe seja concedida naquele dia a graça que ela mais estiver necessitando. Às vezes isso acontece quando paro o carro num sinal e olho para quem está no carro ao lado. Outras vezes é ao entrar no elevador, enfim, são inúmeras as situações.

Bem, o outro, é o hábito de presentear as pessoas com livros sem que haja um motivo plausível para isso. Certa vez, indo ao centro da cidade no sábado, deixei meu carro num estacionamento pago. Quando passei pelo guichê, vi que a senhora que entregava o comprovante do estacionamento usava uma medalhinha de Nossa Senhora. Logo depois, entrando na Livraria Ave Maria, ao adquirir alguns livros, vi um que, sem saber ao certo por que, senti vontade de comprar para a senhora do estacionamento. Foi o que fiz, não descurando de pedir para embalá-lo para presente.

Ao voltar, após parar no guichê e efetuar o pagamento, entreguei-lhe o pacotinho com essas palavras: “Isso é para a senhora”. Confesso que jamais vira alguém esboçar a expressão que vi naquele dia esboçado no rosto daquela senhora ao abrir o pacote. Era uma expressão que denotava, simultaneamente, surpresa e contentamento. Não saberia dizer qual de nós se sentiu mais feliz, se ela por ter sido presenteada ou eu por presentear. Arrisco dizer que talvez tenha sido eu.

Então, depois dessa digressão, o que ia dizer era que passei a semana planejando adquirir alguns exemplares do belo e valioso livrinho Maria, passa na frente para presentear algumas pessoas. Ocorre que tive uma semana um tanto movimentada, e cabei não fazendo as aquisições, ficando, pois, adiadas para a próxima semana.

De qualquer maneira, eu não poderia deixar de falar aqui hoje do poder da jaculatória Maria, passa na frente, mesmo que não seja pronunciada com a fé necessária. Ontem, mais uma vez passei por isso. Uma situação em que não sabia o que fazer para solucioná-la. Então me ocorreu: “Maria, passa na frente”, cuide dessa situação e faça o que eu, em minha limitação humana, não posso fazer. Poucas horas depois os acontecimentos tomaram um rumo inesperado e surpreendente (apesar das muitas ocasiões em que isso já aconteceu, a minha fé é tão fraca que ainda me surpreendo quando sou atendido). Não tive qualquer dúvida: mais uma vez, Ela passou na frente.

À noite, fruindo a quietude e a serenidade do momento, eu era todo gratidão, sem saber o que fazer para retribuir tanto amor oferecido a quem, como eu, por sua fé tão capenga e fraca tão pouco merece, mas tanto tem sido dado por Aquela que é a doadora de todas as graças e bênçãos.