Ancoradouro

Os Medos Que Nos Cercam

Ao falar sobre o medo gosto de utilizar a definição de um sacerdote que tem o dom de simplificar as coisas, Pe. Marcos Chagas, da Diocese de Quixadá. “O medo é uma energia paralisante”, dizia magistralmente o reverendo.

Vemos constantemente que diante de decisões, situações desafiantes muitas pessoas estagnam devido ao medo. Ele torna-se um feitor cruel que dita os limites e inibe com sua presença as mentes mais refinadas.

Por outro lado é bem verdade a concepção filosófica sobre o medo que resguarda nossa vida e nos acompanha desde a mais tenra idade. Não fosse ele nos arriscaríamos e nos exporíamos a constantes perigos de morte.

Algo importante para lidar bem com o medo é “catalogá-lo”, saber quais são aqueles que nos paralisam, que nos impedem de sermos livres, de dedicar-se, arriscar-se, enfim. Existem os medos que, diríamos são naturais e como já foi acenado ajudam a conservar nossa existência, como o receio de altura, de adentrar numa área desconhecida.

Existem os medos descabidos, como por exemplo, o de barata. Já vi pessoas perderem a compostura por causa do inseto .

Certo é que todos nós possuímos nossos medos em menor ou maior intensidade. Alguns sabem contê-los, administrá-los  e isso é de fundamental importância, pois interfere diretamente em nossa qualidade de vida.

Recomendado para você

Nenhum comentário

  • heitor disse:

    Caro vanderlucio.
    Busquei a Deus e por misericórdia ele se deixou encontrar. Sua presença em minha vida me deu medo, afinal Ele é o poder absoluto e eu era um filho que tinha muito o que temer. Porém, pelo amor que senti em sua presença hoje busco não mais temê-lo, mas sim, respeitá-lo e amá-lo, como todo filho deve respeitar e amar seu pai.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *