Ancoradouro

Padre Fábio de Melo Esclarece Episódio de Natal

2254 14

Pe. Fábio de Melo esclareceu em entrevista à jornalista Eliana Lima, do Jornal Tribuna do Norte, de Natal, RN o episódio que envolveu seu nome nestes últimos dias na cidade. O valor dos custos do evento com o show do padre foi publicado como cachê o que repercutiu negativamente na imprensa.

Pelo twitter Eliana Lima questionou o sacerdote sobre o alto valor do evento. Confirmando a idoneidade da fonte, Pe. Fábio se propôs a dirimir as dúvidas e especulações sobre o caso.

Republico abaixo a entrevista concedida por Pe. Fábio à Eliana Lima.

“A coluna questionou ao padre sobre o valor, pelo Twitter, e ele respondeu. Na troca de ‘twettes’, comprometeu-se a conceder entrevista; passou e-mail para a coluna informando o número do seu celular, pediu para que fosse às 22h do domingo, quando chegaria a Taubaté, interior do São Paulo, onde fica sua Diocese; pois passaria o dia pela área rural.

 Não esperou receber a ligação. Ele mesmo a fez, às 20h39, desligando às 21h41.

 Explicou que no Nordeste faria quatro shows, no dia 25 em Natal e encerramento da turnê dia 27 em Fortaleza (CE). Mas os outros shows foram cancelados sem o seu conhecimento.

 “Não me recordo de ter ido para o Nordeste fazer um evento só porque onera muito” disse, informando que os custos são rateados entre cidades (equipamentos, pessoal, passagem, hospedagem, etc).

 VALOR: “Soube dos custos elevados em Natal, no dia 23, através de você, pelo Twitter, quando me questionou sobre o valor. Procurei saber quem era, vi que se tratava de uma pessoa idônea, e busquei informações da Talentos (Produções)”.

 No dia 24, ligou para a prefeita Micarla para saber sobre o valor. Ouviu que houve um erro na publicação (DOM), porque não era cachê, mas tudo incluso, custos operacionais. Ele manifestou sua intenção de cancelar o show, participar só da missa, mas a prefeita fez um apelo que não, alegando divulgação em massa, a expectativa que gerou nas pessoas, inclusive com caravanas já formadas. Diante da situação, decidiu realizar o showmissa.

JATO: Quanto ao fretamento do jato (R$ 90 mil), esclarece que não podia depender nessa época do ano de voos comerciais, por causa das missões em sua Diocese – Taubaté.

 O jato, então, onerou os custos em mais 90 mil reais.

 “Esse jato! Esse bendito desse jato, e as passagens (pessoal) que precisaram ser modificadas”, lamentou.

 “Eu errei em não ter tomado conhecimento disso (custos). Do fundo do meu coração, se eu soubesse que o custo seria de 221 mil reais eu não faria. O erro não foi da prefeitura, foi da Talentos” – padre Fábio culpa a empresa por negociação e exigências. Nunca tem conhecimentos sobre custos, o que não pretende mais fazer daqui para frente.

 PAGAMENTO:  Afirmou que não quer receber um centavo enquanto a Talentos não esclarecer, detalhadamente, os custos, por escrito. O não pagamento, aliás, foi um pedido que ele mesmo fez à prefeita Micarla, e ela concordou. Ou seja, a iniciativa partiu do padre.

“Pelo amor de Deus! Fere todos os princípios éticos da minha vida. Eu sou pobre e sei quanto isso custa. Eu jamais aceitaria esse valor, seja qual cidade for”, confessou padre Fábio.

 Continuou: – “Eu tenho obrigação de mostrar o que aconteceu”.

 CACHÊ:  “Não existe valor fixo. Depende da logística, deslocamento, que estrutura terá” – segundo o padre, quanto mais distante o deslocamento, mais oneroso fica. Este ano mesmo ele fez show no interior paulista por R$ 30 mil, incluindo cachê e custos operacionais.

 ARREPENDIMENTO:  “Eu me arrependo amargamente, minha filha. Se eu soubesse antes eu teria cancelado o show, pediria ao meu bispo e teria só participado da missa. Não passaria por esse constrangimento, nem a prefeitura. Nós somos os artesãos da palavra, podemos tirar o sono de alguém. Estão tirando o meu”.

 CONVITE PARA SHOW: “Eu não recebi convite nem da prefeitura, nem de Gabriel (Chalita – pergunta da coluna se ele teria feito a ponte), mas sim um comunicado do escritório, que iria colocar Natal na turnê”.

 VALORES: “Quero fazer justiça. Volto a afirmar que não tinha conhecimento (custos), porque não tenho conhecimento dos valores dos meus shows. Nunca na minha vida negociei show, nem tempo para isso eu tenho. Se precisar parar de fazer show eu faço e continuo evangelizando na rádio, jornal e caminhadas. A minha vida musical quem administra é a Talentos, que organiza os shows católicos pelo Brasil”.

 COLUNA – Não foi a prefeita Micarla quem lhe convidou?

PADRE: – “Eu não tenho intimidade com Micarla para ligar para ela, nem ela para mim”.

 COLUNA – O Senhor está chateado com essa situação, os comentários?

PADRE: – “Quando eu vejo as pessoas ironizando que estou maravilhado com 221 mil no bolso fico muito triste. Ninguém tem o direito de dizer o que o outro não fez. Eu não tenho o direito de banalizar outra pessoa. São 15 anos representando a igreja católica e de repente uma nota no jornal dizendo que ganhei um valor que não ganhei. E o dinheiro vai para instituições que eu colaboro, como o Hospital do Câncer, Viva Cazuza” – entre outros.

 COLUNA – O Senhor pretende vir novamente a Natal?

PADRE: – “Eu quero voltar a Natal de uma maneira diferente, encontrar uma instituição para dedicar o evento, no início do ano, para apresentar o trabalho do meu novo CD, Iluminar. Não é para corrigir os erros, mas para acertar. Se errei, se fui negligente. Não culpo a prefeitura, em absolutamente nada. Combinou o que a Talentos cobrou”

 COLUNA – O Senhor já falou com Dom Matias Patrício?

PADRE: – “Dom Matias não se pronunciou em absolutamente (contato com ele). Fiquei extremamente preocupado com Dom Matias, porque se estou numa Diocese que não é minha, eu levo o nome dela; é ainda mais responsabilidade. Pretendo me colocar à disposição. Só não fiz ainda por falta de tempo, pois desde o dia 23 estou fora. Cheguei hoje (domingo) e fui celebrar nas comunidades rurais”.

 A continuação da entrevista se deu no blog Abelinha, de responsabilidade da mesma jornalista

Padre Fábio disse que recebe cerca de mil ‘tweets‘ por minuto (ele tem quase 90 mil seguidores), e entre eles viu o meu, questionando sobre o valor do contrato (R$ 221 mil) – dia 23. Chamou a sua atenção.

 Quando questionei novamente, sábado à noite, respondeu, por considerar que era o momento, acreditando que “nada acontece por acaso, e vi que você é uma pessoa idônea, responsável, correta, trabalha no maior jornal do Estado, de maior repercussão e credibilidade“.

 Reafirmou sobre o pagamento: – “Queria te garantir que meu escritório vai esclarecer. Não vamos receber nenhum tostão da Prefeitura de Natal enquanto não for esclarecido.  Os custos foram altos por causa de uma situação que fugiu ao meu controle. Liguei para a prefeita Micarla dizendo que estava extremamente constrangido por causa de uma informação que fiquei sabendo (valor do show, pelo twitter.com/elianalima) e gostaria de cancelar. Coloquei-me à disposição para participar só da missa, mas caravanas estavam indo para o show em Natal e a prefeita me disse “eu peço que o Senhor venha e depois a Talentos esclarece“.

 Padre Fábio disse que foi uma lição e a partir de agora exigirá que todas as informações sobre valores passem por ele: – “Preciso de uma assessoria que passe essas informações para mim, para não passar mais por isso“.

Quanto ao encontro na casa da prefeita após o show, garantiu que o único momento em que se tocou no assunto do contrato foi quando lhe perguntaram como soube da repercussão em Natal, e ele disse que “foi pelo Twitter da Eliana, que é jornalista, e me informaram que sim, que você é da Tribuna do Norte“.

 – “Dou minha palavra de padre, de homem. A única hora em que se falou do evento foi quando me perguntaram como eu soube, e eu disse no Twitter da Eliana“.

 Sobre o motivo que retirou os posts no seu Twitter, sábado, explicou: – “Retirei os posts porque as pessoas estavam retwittando somente o primeiro post. Você sabe muito bem que não é fácil dar explicações tão complexas usando apenas 140 caracteres. No primeiro post eu falava que não sabia do valor do show e que também esperava explicações. Eu só sabia que o custo extrapolava o comum. Foi sobre isso que falei no show. O evento de Natal ficou prejudicado por causa da desistência das outras cidades. Pedi desculpas ao povo. O grande vilão foi o meu transporte. Mas o post se referia às explicações que meu escritório me faria. Percebi que eles estavam sendo usado fora do contexto, como se eu estivesse sugerido má fé ou desonestidade por parte da Prefeitura de Natal. A regra da boa interpretação é essa. Todo texto pede um contexto. Precisamos segui-la. Quanto aos valores dos eventos, volto a l he dizer: eu não cuido disso. Os eventos são acordados caso a caso. A Talentos poderá lhe informar melhor“.

 E desabafou: – “Minha filha, confesso que estou cansado do assunto. Não vou dar ouvidos aos comentários maldosos. Quem gosta de veneno é suicida. Não é o meu caso. Eu prefiro ficar com o bom da vida. Só quero esperar pelos esclarecimentos. É uma questão de honestidade. Agradeço pela oportunidade de dizer o acontecido à população de Natal, através de você“.

 Os links da entrevista de Pe. Fábio de Melo são os seguintes:

http://www.tribunadonorte.com.br/coluna/2028

http://blog.tribunadonorte.com.br/abelhinha/continuacao-da-entrevista-com-padre-fabio-de-melo/47105

Recomendado para você