Clube da Luta

UFC 168: cearense Diego Brandão é nocauteado por Dustin Poirier no 1º round

874 1
Porier não tomou conhecimento de Diego no fim do 1° round. Foto: UFC/Divulgação

Porier não tomou conhecimento de Diego no fim do 1° round. Foto: UFC/Divulgação

Apático, Diego Brandão freou a boa fase que vivia Ultimate e terminou o ano de 2013 com derrota. Vindo de uma sequência de três vitórias, o lutador acabou superado pelo americano Dustin Poirier, na 1ª luta do card principal do UFC 168, na madrugada de sábado para domingo, em Las Vegas.

Mesmo sem o característico início de luta explosivo, Diego conseguiu começou bem a luta, marcada por intensa troca de golpes em pé. O cearense chegou a conectar um golpe que levou Poirier ao chão, tentou levar o combate para o solo para buscar uma finalização, mas o adversário, nº 6 dos pesos-penas, soube se sair bem das investidas e manteve o combate em pé.

Na reta final do round, o americano conseguiu acertar golpes duros no brasileiros próximo à grade, levou Diego ao chão e castigou o brasileiro com uma série de socos no rosto, obrigando o árbitro a interromper o combate. Nocaute técnico!

PROBLEMAS ANTES DA LUTA

Diego intimidado pelo adversário na pesagem

Diego intimidado pelo adversário na pesagem

Os dias que antecederam o combate foram bastante tensos para Diego Brandão. Há duas semanas da luta, ele sofreu um acidente de carro que por pouco não o tirou do duelo contra o Poirier. Na pesagem do UFC 168, o lutador cearense foi o único dos 22 atletas que não conseguiu bater o peso e ficou expressivos 3,1 kg acima do limite de sua categoria e, com isso, foi punido com a perda de 25% de sua bolsa. Para piorar, ainda se desentendeu com Poirier na encarada. O americano colocou o dedo em riste e gritou com o cearense.

Com o último revés, o cearense, campeão da 14ª temporada do The Ultimate Fighter (TUF) Americano, agora soma 3 vitórias e 2 derrotas em 5 lutas pelo UFC.

1 comentário

  • Marcos Manuel de Almeida disse:

    Lamentei muito a infeliz ocorrência, que pode mudar o destino do atleta pelo resto da vida. em que pese o fato, acredito até que para o Andersos, jamais voltará a desafiar o americano, pode ter sido uma boa saída, posto que pelo que vimos no primeiro round, seria derrota na certa.

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *