Discografia

César Lacerda lança Porquê da voz

embalagem_02

Mineiro de Diamantina, o cantor e compositor Carlos Lacerda está estreando em disco com o independente Porquê da voz. O músico é filho e irmão de musicistas e passou a vida cercado de diferentes sons, do erudito – Débussy e Chopin – ao popular – Skank e Mamonas Assassinas. Mas foi para esse segundo caminho que ele correu na hora de compor as 12 canções autorais que apresenta no disco novo. Mas, aqui me refiro a um popular bem dos citados no release e reproduzidos acima. Antes desse registro, havia um EP de 2011 e uma releitura para Elegia, canção de Péricles Cavalcanti e Augusto de Campos, gravada por Caetano Veloso no grandioso Cinema transcendental.

A melhor forma de definir Porquê da voz é como um disco de MPB, uma vez que cabe muita coisa nessa sigla. O disco traz momentos de jazz, um samba-reggae, algo de samba canção e uma tentativa de dramaticidade. Tudo isso embalado em arranjos bem palatáveis. A voz do mineiro é afinada e lembra (e muito) a de Jair Oliveira. O repertório é todo autoral e agrega parceiros como Brisa Marques, Luiza Brina e Luiz Gabriel Lopes. A presença de cordas revela também a influência da herança erudita no som do rapaz que estudou música na UFMG e UNIRIO.

Há belezas em Porquê da voz, mas pouco empenho em sair do lugar comum. Há, na verdade, uma tentativa de ser aceito em muitos nichos (mal que toma conta de boa parte da nova produção nacional). Nas letras, encontra-se alguns bons momentos, como a faixa-título, que exprime o amor de César pelo seu ofício (“Por ser cantor, meu desejo é estar por aí”). Ou A dois (“pode a dor esperar meu canto traduzir em mil formas de amar”), que conta com a presença de Lenine. Ou ainda Namorim’ (“Eu prefiro ser canalha assumido a um meio marido”). No entanto, são achados. Fora isso, Porquê da voz sofre de uma grande apatia diante do fazer música.

Veja as faixas de Porquê da voz (todas de César Lacerda, e parceiros quando assinalado):

1. Porquê da voz
2. Qualquer pensamento específico (Brisa Marques)
3. Manawê
4. A dois
5. Bem mais
6. Namorin’ (Brisa Marques/ Luiza Brina)
7. Herói
8. Parece
9. Jonas (Brisa Marques)
10. Simone de Santarém (Luiz Gabriel Lopes)
11. Tudo incerto
12. Favos de solidão (Numa Ciro)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.