Discografia

Jornalistas apontam seus preferidos na discografia de Bob Dylan

dylanbox250913w

Receber, de uma só vez, uma caixa com mais de 41 discos de Bob Dylan é um sonho pra muita gente. Quem tiver uns bons trocados sobrando ou muita fé no Papai Noel, pode ter esse sonho realizado à partir de hoje. The Complete Album Collection Vol. One, além de parte substancial da discografia do cantor, traz um livro com informações e fotos inéditas. Como é muita coisa pra ouvir, degustar, apurar, apreender, o DISCOGRAFIA dá uma força convidando fãs do bardo de Minnesota para indicarem seus discos preferidos. Acompanhem:

desire - nelson augusto

Nelson Augusto, jornalista

Desire foi disponibilizado em janeiro de 1976, já com Bob Dylan tocando guitarra, traz obras-primas como Isis, Mozambique, One More Cup of Coffee (Valley Below), Oh, Sister , Joey, Black Diamond Bay, Sara. Além delas, o clássico Hurricane e Romance in Durango, esta vertida para o português por Fausto Nilo e cantada por Fagner como Romance no Deserto. É ouvir do começo ao fim.

f

Darwin Marinho, DJ e designer

Dois motivos imediatos para o Highway 61 ser meu favorito do Dylan são Like a rolling stone e Desolation row. Eu tenho muito claro que é nesse disco que ele reinventa o rock, ou começa esse processo. É nele que eu vejo as letras ganharem mais intensidade, sarcasmo e crueldade. Tem as citações a T.S Eliot, Erza Pound, F. Scott Fitzgerald, Cinderela, Corcunda de Notre-Dame, Ofélia, Robin Hood. Lembro até de já ter comparado ao My Beautiful Dark Twisted Fantasy, do Kanye West, e acho fascinante que as referências que o Bob criou sejam tão fortes a ponto de ligar dois artistas que olhando superficialmente parecem estar em extremos opostos.

Good as I been - Carlão

Carlus Campos, artista plástico

Discos como Blonde on Blonde e John Wesley Harding são obrigatórios para quem gosta de Dylan. Gosto muito. Mas, tenho um carinho especial por Good as I been to you, um disco de 1992. Um álbum subestimado, talvez porque trás Dylan fazendo covers de canções folclóricas.

john wesley - patrão

Felipe Araújo, jornalista

Meu disco “de cabeceira” de Bob Dylan é John Wesley Harding (1967), que traz faixas como As I went out one morning, I pity the poor imigrant e Down along the cove, além das versões originais de composições que se tornariam grandes sucessos nas vozes de Jimi Hendrix (All along the watchtower) e Janis Joplin (Dear Landlord). A sonoridade do disco é bem crua, embasada no trio bateria, baixo e guitarra; e nos conduz a um astral diferente dos demais discos de Dylan da época. O próprio Dylan completa o quarteto com violões, harmônicas e piano. Discaço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.