Discografia

Daniel Groove volta a falar ao coração no disco Romance pra depois

1171 1

foto Daniel Groove - credito Eduardo Escariz (1)

Olhando para a figura de Daniel Groove é possível imaginar que ali mora um roqueiro no estilo anos 1970, que usa a música para falar sobre bebedeiras e rotinas olímpicas de sexo. Há ainda a possibilidade de ser um metaleiro, de voz gutural falando sobre os poderes do capeta. No entanto, a arte deste cearense é bem mais profunda. Por trás da barba volumosa e do corpo de quase dois metros, fica um apaixonado incorrigível que assim se mostrou no excelente Giramundo.

Lançado em 2013 em formato digital, esse foi o primeiro disco solo do cantor e compositor que integrou a banda O Sonso. Dois anos depois, chega a hora de Romance Pra Depois, uma nova compilação de baladas que falam direto ao coração. São nove faixas escritas de próprio punho e, mais uma vez, oferecidas gratuitamente para download. No entanto, o disco produzido pelo paraense de alma cearense Saulo Duarte parece levar o ouvinte a viagens mais longas que seus pouco mais de 30 minutos de duração sugerem.

capa - Daniel Groove - Romance pra depois (2015) (1)Se Giramundo foi pensado e planejado durante mais de um ano, Romance pra Depois veio embalado no despojamento. Praticamente todas as faixas foram apresentadas para os músicos na hora da gravação e cada um pode ver que caminho seguir, tudo espontaneamente. “Era trocar o técnico pelo artístico”, resume Groove por telefone, de São Paulo, onde mora há mais de dois anos e onde gravou seus dois discos. O resultado é um disco em que os sentimentos parecem flutuar e onde cada nota parece carregar uma dor, uma esperança ou uma lágrima.

Um bom exemplo disso é Bicicleta, um emocionante pedido de perdão construído sobre baixo, bateria e ruídos. O resultado dessa combinação é de fazer tremer os lábios do mais insensível dos homens. “Desde o Giramundo, desde O Sonso até, eu venho numa pesquisa de que menos é mais. Nesse disco chego ao limite e Bicicleta é uma síntese disso. Eu comecei a simplificar meu som. Estou atrás de um novo caminho, que ainda não sei qual é”, explica Groove assumindo que Romance pra Depois acabou ganhando um tom mais soturno, triste. “O Giramundo é mais solar, de um amor que não vai se entregar. Esse é amor de saudade, de ausência. Sempre cantei mais agudo, mas esse é mais sombrio e não vejo problema nisso”.

Outra diferença deste para o álbum de 2013 foi o foco das composições. Para Giramundo, ele escolheu 10 entre as 23 canções que havia composto. Agora eram só 15 e ele escolheu nove. “Não dava para aproveitar as coisas do anterior. Até daria para aproveitar, mas não teria aquela verdade que eu queria. As canções que estavam prontas não falavam como essas. Praticamente, tudo foi feito de um ano para cá”, lembra ele que ainda contou com apoios importantes para o disco. Além da banda formada por João Leão (piano/teclados), Victor Bluhm (bateria), Saulo Duarte (violão/guitarra), Klaus Sena (baixo) e João Vasconcelos (teclado/guitarra), Romance Pra Depois traz Hélio Flanders (Vanguart) em Eu Lembro do Vento, Juliano Gauche em Pasto e Rafael Castro em Brincadeira de Amor.

Entre afagos delicados (De repente) e duras encostadas na parede (Canção pra fazer você ficar mais), Romance Pra Depois é um passo a frente na carreira de Daniel Groove, sem se afastar do que foi conquistado neste ainda curto caminho solo. Agora ele espera lançar os dois primeiros rebentos em LP e cair na estrada. Canções que foram feitas para O Sonso, que acabou com a morte do guitarrista Rodrigo Gondim em 2008, também podem voltar a qualquer momento, apesar desse não ser o foco por enquanto. A meta é correr o País procurando de almas em busca de uma verdadeira canção de amor.

Serviço:
Romance pra depois – Daniel Groove
Participações de Hélio Flanders, Juliano Gauche e Rafael Castro
9 faixas
Sete Sóis
Disponível para download gratuito pelo facebook do artista

1 comentário

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.