Fora da Ordem

“Doce Amianto”, “Abissal” e outros seis filmes cearenses para assistir sem sair de casa

Cena de “Doce Amianto”

A Escola Porto Iracema das Artes divulgou uma lista com oito filmes cearenses para assistir pela internet, sem sair de casa, durante o período de quarentena. A ação do equipamento disponibiliza entretenimento para ajudar as pessoas a cuidarem da saúde ficando em casa.

A lista de filmes cearenses inclui curtas e longas-metragens. Dentre eles, o longa Doce Amianto (2013), de Guto Parente e Uirá dos Reis, e o curta Abissal (2016), de Arthur Leite.

Rânia
De Roberta Marques, 2011

Rânia é uma adolescente humilde de Fortaleza, que trabalha num quiosque de praia enquanto sonha em ser bailarina. Quando sua amiga lhe arranja um bico como dançarina numa boate, ela conhece uma famosa coreógrafa que pode tornar seu sonho realidade.

Mato Alto – Pedra por Pedra
De Arthur Leite, 2011

O sonho da vida de um homem erguido, pedra por pedro, no sertão alto do Ceará. Vencedor de mais de 13 prêmios, nacionais e internacionais.

Europa (Leonardo Mouramateus, 2011)

As ruas onde vivo foram onde nasci. E antes disso minha mãe. E antes disso meus avós. Desenho estas ruas: não há lugar como nosso lar.

Doce Amianto
De Guto Parente e Uirá dos Reis, 2013

Travesti romântica, Doce Amianto preenche o vazio com a imaginação. Seu universo particular se choca com a realidade da não aceitação. Contando com a ajuda de sua fada madrinha, ela tenta encontrar a felicidade.

O Completo Estranho
De Leonardo Mouramateus, 2014

A festa e os cães
De Leonardo Mouramateus, 2015

À noite eles se juntam em bando, como se fossem um pelotão que tivesse desertado de uma mesma parte, para este pedaço de bairro no subúrbio de Fortaleza.

História de uma pena
De Leonardo Mouramateus, 2015

Abissal (Arthur Leite, 2016)

Partindo do projeto de pesquisar a vida de um avô que nunca conheceu, o cineasta cearense Arthur Leite começa a investigar a história da própria família. Quanto mais mergulha nela, mais se afasta da ideia original, percebendo que a personagem, na verdade, é sua avó, Rosa – que, diante de uma câmera, dispõe-se a fazer revelações inesperadas sobre esse passado desconhecido.

Recomendado para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *