iMãe

Guia dos Direitos da Gestante e do Bebê

Ontem foi o Dia Munidial da Amamentação! E essa mãe que aqui escreve trabalhou os dois expedientes e, chegando em casa, ainda teve o terceiro com a Laís e não teve tempo nem de “pisar” por aqui. Mas voltando ao assunto, amamentação, segue uma matéria ótima que saiu hoje no Jornal O Povo sobre o Guia dos Direitos da Gestante e do Bebê que foi lançado pelo Ministério da Saúde. Com ilustrações de Ziraldo, o guia destaca os benefícios do aleitamento materno.

***

No Brasil, apenas 41% dos bebês menores de seis meses são alimentados exclusivamente com leite materno (Foto: Mauri Melo)

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, lançou no Rio de Janeiro a campanha da Semana Mundial de Amamentação. Acompanhado pela atriz Juliana Paes, madrinha da campanha este ano, ele apresentou o Guia dos Direitos da Gestante e do Bebê, cartilha que informa como garantir os direitos das mães e dos recém-nascidos.

Com ilustrações do cartunista Ziraldo, o guia destaca os benefícios do aleitamento materno. Segundo o Ministério da Saúde, amamentar é a forma mais eficaz para a redução da mortalidade infantil, além de proteger a criança de inúmeras doenças. “Desde que engravidei do Pedro, eu queria muito ter parto normal e amamentar. O parto normal não foi possível, mas amamentar eu consegui. O Pedro vai fazer oito meses e adora mamar no peito”, contou Juliana Paes.

A semana da amamentação é comemorada anualmente e este ano será do dia 1º a 7 deste mês. Desde ontem, cartazes e folhetos são distribuídos pelas sociedades de pediatria dos estados e do Distrito Federal, assim como secretarias estaduais e municipais de Saúde. Também foram produzidos filmes para a televisão e Internet, além de um spot para transmissão no rádio.

Atualmente, apenas 41% dos bebês menores de seis meses no Brasil são alimentados exclusivamente com leite materno, de acordo com dados do Ministério da Saúde. A taxa é semelhante à média mundial, calculada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em menos de 40%. Mas, é bem abaixo do percentual ideal definido pela organização, entre 90% e 100% das crianças nessa faixa etária. “Nós queremos chegar a 80 por cento do aleitamento materno exclusivo. Não fechamos uma meta por ano, mas tem um conjunto de ações porque não depende só do governo, depende das empresas”, afirmou Padilha. De acordo com o ministro, em um ano 10 mil empresas passaram a cumprir a lei que garante licença maternidade até seis meses para incentivar o aleitamento materno. (da Folhapress)

ENTENDA A NOTÍCIA
A novidade da campanha deste ano é o Guia dos Direitos da Gestante e do Bebê. A cartilha, que informa os direitos das mães à amamentação, será distribuída a profissionais de saúde e líderes comunitários que terão a função de multiplicar as informações e orientar as mulheres.

SAIBA MAIS

A cartilha, com ilustrações de Ziraldo, será levada prioritariamente às regiões do País com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)

Para a representante do Unicef no Brasil, Marie-Pierre Poirier, a sociedade brasileira precisa apoiar mais as mães. “Muitas mulheres ainda sofrem preconceito ao amamentar em público.

No Brasil, o índice de crianças de até seis meses que se alimentam exclusivamente de leite materno está abaixo do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Enquanto o considerado ideal está entre 90% e 100%, no País são apenas 41%.

Entre janeiro e dezembro de 2010, 10.518 empresas se comprometeram a conceder os 60 dias adicionais.

Somente Acre e Maranhão, de acordo com a SBP, ainda não concederam os seis meses às servidoras públicas estaduais.

Fonte: Jornal O Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × dois =