Leituras da Bel

Leia “castigo” e “cântico da madruga”, textos do escritor Bruno Paulino

Por Bruno Paulino

Foto: Aurélio Alves

castigo
te perder
doeu muito mais
que as pisas de cinturão
que mamãe me dava
sem eu ter feito
malinação nenhuma
para merecer

cântico da madruga
primeiro foi um olhar tolo
depois eu descobri
as reticências
e os incensos
– um destino improvável –
muito mais que impossível
agora sou todo olheiras

o amor, esse esfomeado,
também comeu
todos os meus livros de poesia¹

Nota 1: referência ao verso de João Cabral de Melo Neto.

***

Bruno Paulino
É cronista e aprendiz de passarinho

***

 

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis + 2 =