Plínio Bortolotti

Jornal francês Le Figaro passa a cobrar por conteúdo na internet

708 3

O Le Figaro passou a cobrar por parte de seu conteúdo na internet, como vêm fazendo vários outros jornais.  O diário francês lançou na terça-feira (16/2) três pacotes de acesso ao seu acervo jornalístico pela web.

Um gratuito oferecendo as principais informações  para o leitor. Outro intermediário, custando oito euros por mês [cerca de R$ 28] com acesso a conteúdo como reportagens. O pacote mais caro chamado de “Business” custa 15 euros por mês [cerca de R$ 37] contendo serviços destinados a facilitar a vida profissional.

Os assinantes ganharão uma página pessoal com capacidade de guardar artigos que tenham gostado e poderá comentar e compartilhar opinião com outros internautas.

O jornal oferecerá ainda acesso aos seus arquivos e uma seleção de artigos escritos pelo New York Times francês.

Informações do IDGNow!

Recomendado para você

3 Comentários

  • Leonardo Ribeiro disse:

    Plínio, talvez por lá aconteça o mesmo que por aqui: a queda contínua da venda de periódicos.
    Não sei se isso pode compensar a perda financeira, pois há vários blogs, no caso brasileiro, que disponibiliza o conteúdo do que é editado nos jornais e revistas.
    Até o governo federal criou uma página (http://clippingmp.planejamento.gov.br/), onde faz um filtro (não resumido) do que é destaque na imprensa. Enfim, quase não se precisa comprar mais jornal impresso nem revista. (Embora, no caso, do jornal, o papel sirva para limpeza de janelas e portas de vidro…)

    Feliz cada novo dia…

    • pliniobortolotti disse:

      Caro Leonardo,
      No caso do Le Monde, as tiragens estão aumentando. Li uma entrevista da editora do jornal, Sylvie Kauffman no caderno “Mais”, da Folha de S. Paulo [domingo, 21/2/2010] em que ele mostra isso. Mas, de fato – de modo geral – a circulação dos jornais vem caindo. Agora, discordo que ler um resumo é o mesmo do que ler uma notícia, de modo aprofundando. Creio que existe – e existirá ainda por um bom tempo – espaço para a internet e para os impressos.
      O link para a matéria com a editora do Le Monde: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mais/fs2102201008.htm – se não tiver acesso me avise que eu lhe mando uma cópia via e-mail.
      Abraço,
      Plínio

  • Paulo disse:

    A necessidade dos jornais de conviver com os novos suportes tecnológicos é inevitável. A estratégia do Le Figaro pode não ser muito rentável para os jornais cearenses. Apenas estudos sobre o público alvo pode dar um prognóstico da rentabilidade. O jornal trabalha com algo intangível, mas que exige das empresas do setor uma gestão eficaz dos recursos materiais e humanos.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + 4 =