Plínio Bortolotti

Presidente da Associação dos Defensores Públicos visita O POVO

694 1

A partir da esquerda: Marcelo Inácio, Fábio Ivo (presidente Apdec) e eu. Foto de Edimar Soares

Fábio Ivo Gomes, presidente da Associação dos Defensores Públicos do Estado do Ceará (Adpec), esteve hoje visitando O POVO.

Ele assumiu a presidência da entidade depois que a dirigente anterior, Mariana Lobo, foi nomeada Secretaria de Justiça do Estado.

O presidente disse que a Defensoria lançará duas campanhas este ano. A “Campanha sobre Infância e Juventude”, de caráter nacional, organizado pela Associação Nacional dos Defensores Públicos (Anadep), com lançamento previsto para 19/5/2011, e uma de caráter estadual, com o título “Deficiente Cidadão”.

Fábio Ivo estava acompanhado do assessor de Comunicação da Adepc, Marcelo Inácio de Sousa.

Recomendado para você

1 comentário

  • Célio Ferreira Facó disse:

    Jornalismo é outra espécie de defensoria pública.

    Questões que considerar agora.

    Que deve fazer um egresso da universidade e que se emprega num jornal ou revista ou televisão dirigido, como ocorre o mais das vezes, por empresário e assessores preocupados só com o lucro, como se estivera a vender laranjas?

    Podem conciliar-se Jornalismo e o espírito vendilhão do comércio e dos ganhos?

    Quanto de liberdade de imprensa e de opinião e de jornalismo crítico resta num país onde se permite a qualquer ser dono de múltiplas e múltiplas empresas na área de informação, não raro registradas em nome de falsos donos?

    Quanto de liberdade de imprensa e de pensamento haverá num país assombrado pela miséria, a pobreza, o analfabetismo e onde as parcelas mais nobres da população mal se distinguem das mais pobres quanto à fala, os gostos, os modos e muitos poucos lêem?

    Como afetam a imprensa escrita as novas tecnologias da informática e que futuro se lhe reserva?

    É certo que é necessário o diploma para o exercício do jornalismo, como o é para a medicina e a contabilidade? Por quê? Devia-se exigir um também para poder escrever, filosofar, falar, reivindicar publicamente?

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *