Respirando Música

Conheça: Two Wolves (GO) e gorduratrans (RJ)

Vamos de mais indicações na coluna Pílula. Discos que chegam até nós, links que passam na timeline, indicações em outros blogs, tudo fluindo para a descoberta de novos e ótimos sons. Dessa vez, vamos com o disco surpreendente da Two Wolves, diretamente de Goiás, e o shoegaze da excelente gorduratrans do Rio de Janeiro.

 

  • Two Wolves

Two Wolves

Vem de Senador Canedo, estado de Goiás, o indie rock da banda Two Wolves no disco Just Listen To. O estilo que dominou com força e em várias vertentes o mundo da música continua se reinventando, continua influenciando várias frentes e gerando bons frutos. A Two Wolves soa bastante atual, radiofônica e faz um som que coloca qualquer plateia na mão. Chama atenção, de forma positiva, o fato de que das dez músicas do disco, quatro delas não passam de três minutos e as outras quatro estão na casa dos três minutos, ou seja, o Two Wolves consegue ir direto ao ponto, sem enrolação, do indie mais dançante ao rock contemporâneo mais cadenciado com guitarras bem elaboradas. As referências, para quem é adepto do estilo, vão desde nomes como Phoenix ou MGMT em faixas como “Zombie Life”, ponto alto do disco, e “Sold Soul”; Death Cab For Cutie na lindíssima “Ancient Astronaut” e em “Someone Who Never Came”.
A banda que gravou o disco em parceria com a Monstro Discos, de Goiânia, conseguiu de fato fazer um apanhado de tudo de melhor que o indie ofereceu nos últimos anos de uma forma consistente e com um resultado digno de destaque para posicioná-los como um dos bons representantes do gênero no Brasil.

  • gorduratrans

gorduratrans

O shoegaze não está morto e o Rio de Janeiro manda o recado através do duo Felipe Aguiar (Guitarra/Voz) e Felipe Marinho (Bateria) com o excelente gorduratrans, que lançou o disco “Repertório Infindável de Dolorosas Piadas”. Ao longo de menos de 30 minutos, a banda mostra as maiores e melhores influências de nomes como My Blood Valentine, Yuck e puxa boas referências de Sonic Youth, Pavement e afins.
O nome da banda chama atenção, o nome do disco chama atenção e tudo se converte num som forte, com letras tensas, que fazem dessa dupla um ponto alto numa cena latente do estilo no Brasil. Vida longa ao ótimo gorduratrans.

Recomendado para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *