Ancoradouro

Declaração de pai pela vinda do segundo filho emociona

Tobias é casado com Luciana há pouco mais de quatro anos e são pais da Lia Maria. Integram a geração que nasceu e descobriu a Fé sob o pontificado de São João Paulo II. Com esta Fé redescobriram a beleza da família, da missão e da consagração.  O relato do casal sobre  a concepção do segundo  filho emocionou muitos internautas. E não é para menos. O depoimento vai na contramão dos dias atuais que apregoam não ser muito  bom para o casal ter muitos filhos. 

Declaração do pai sobre os fillhos emocionou.

“É interessante estarmos ‘grávidos’ do 2º filho. A maioria das pessoas reagem com um: ‘já??’, ‘que corajosos!’ Ou um ‘que loucura’. Mesmo os mais próximos acabam se traindo e dizendo algo semelhante a isso”, diz o começo da postagem que obteve até o momento mais de mil engajamentos.

Tobias, Luciana e João Tobias recém-nascido.

Sobre os comentários, Tobias conta que não fica chateado.  Ele mesmo se pega pensando isso uma hora ou outra. Mas segundo o administrador de empresas,  este não é o problema. “Somos filhos dessa ‘geração’ que acha que um filho é ‘caro’, que educar é ‘difícil’, que na ‘época dos nossos pais era diferente’. Somos filhos dessa geração que tem medo do futuro, das consequências da vida, etc.”, explica.

A gratidão pelo dom de muitos filhos é inspirado pelo Salmo 126. “Eu leio esse salmo e vejo que a mentalidade de Deus é exatamente o contrário: um filho é como um ‘salário’! É como flechas numa aljava! Meu Deus, que maravilha!!!  […] Que assim seja! Um filho é um salário! Então eu quero ser muito rico! Ter vários! Um filho é como flecha! Que minha aljava esteja cheia delas!”.

Casal é consagrado na Comunidade de Aliança Shalom, em Fortaleza.

Tobias não desconhece as consequências de sua escolha junto à esposa. “Se para isso eu precisar me esforçar mais, trabalhar mais, ficar ‘mais pobre‘, que fique mil vezes! Nossos filhos não precisam de ‘tudo de melhor’, nem dos ‘melhores colégios’, muito menos de uma mesada gorda! Ou mesmo que ‘não lhes falte nada’. Nossos filhos precisam de nosso amor, nossa dedicação e, sobretudo, de aprenderem conosco a confiarem e a amarem a Deus, Senhor de todas as coisas e nosso Pai!”.

Recomendado para você