Discografia

Fagner canta amanhã nos 60 anos do BNB Clube

1421 1

FagnerNa história do BNB Clube, a música sempre teve espaço de destaque. Foram muitos os projetos que convidaram artistas dos mais variados estilos, de Tetê Espíndola a Paulinho Moska, passando por Blues Etílicos e a pop Milena. Entre esses nomes, a lista é longa e eclética, e pode ser conferida nas fotos expostas nos salões onde acontecem os shows. No ano em que o espaço comemora seus 60 anos, o desafio era encontrar alguém à altura desta data. O nome escolhido foi Raimundo Fagner, que apresenta amanhã as canções de Pássaros urbanos, seu novo trabalho de inéditas.

Lançado em maio deste ano, Pássaros urbanos (Sony Music) quebrou um jejum de cinco anos sem composições novas. São 11 faixas, onde o cearense de Orós (a 352 km de Fortaleza) reafirma antigas parcerias com Fausto Nilo, Clodo e Michael Sullivan (também produtor do álbum) e outras mais novas, como o maranhense Zeca Baleiro. O 38° disco de Fagner também apresenta regravações de Belchior (Paralelas) e Carlos Barroso (No Ceará é assim), esta última já gravada por ele outras duas vezes, nos álbuns Pedras que cantam (1991) e Bateu saudade (1996).

Além das canções do novo disco, Fagner também não dispensa os muitos sucessos que acumulou ao longo de mais de 40 anos de carreira. Acompanhado da banda formada por Cristiano Pinho (guitarra), Marcus Vinny (teclado), Rick de La Torre (bateria), Marcos Farias (teclado e sanfona), Manassés (viola) e André Carneiro (baixo), ele apresenta canções como Noturno, Borbulhas de Amor, Canteiros e tantas outras. Partes dessas canções que acompanham Fagner, inclusive, já têm um novo destino à espera.

fagnerezeramalhoaovivoNem bem apresentou seus Pássaros urbanos ao público, Fagner já tem um novo trabalho previsto. Trata-se de um álbum gravado ao vivo com o amigo (e vizinho no apartamento que mantém no Rio de Janeiro) Zé Ramalho. Lançado em CD e DVD, o projeto traz os nordestinos lado a lado, com seus violões, relembrando músicas que ajudaram a pavimentar suas estradas. Com cada um bicando o repertório do outro, Fagner & Zé Ramalho Ao Vivo tem A terceira lâmina, Eternas ondas, Pelo vinho e pelo pão, a inédita Canção da floresta e outras. Produzido por Robertinho de Recife, o disco contou com as participações de Manassés no violão e Mingo Araújo nas percussões.

Gravado entre os dias 28 e 30 de julho no Theatro Net Rio, no Rio de Janeiro, este é o primeiro disco lançado em conjunto por Fagner e Zé Ramalho. No entanto, não é a primeira vez que eles se encontram musicalmente. O disco Orquídea negra (1983) já trazia Filhos do câncer, parceria interpretada por ambos. Já o box A caixa de Pandora (2010) resgatou um dueto inédito deles para Amigo, de Roberto e Erasmo Carlos. Lançamento da Sony Music, Fagner & Zé Ramalho Ao Vivo deve chegar ao público na primeira metade de novembro.

Serviço:
60 anos do BNB Clube
O quê: shows com Fagner e Dona Zefa
Quando: sábado (8), às 20h
Onde: BNB Clube Aldeota (Av. Santos Dumont, 3646 – Aldeota)
Quanto: R$ 300 (Mesa Prata – sócio), R$ 400 (Mesa Prata – não sócio), R$ 420 (Mesa Ouro – sócio), R$ 560 (Mesa Ouro – não sócio), R$ 570 (Mesa Premium – sócio) e R$ 760 (Mesa Premium – não sócio)
Telefone: 4006.7200