Discografia

Amarante apresenta estreia solo em Fortaleza esta noite

Foto: Luís Martins

Foto: Luís Martins

Desde que o Los Hermanos anunciou suas férias por tempo indeterminada, em 2007, cada membro do quarteto passou a se dedicar a outros projetos, musicais ou não. De todos eles, Rodrigo Amarante foi o que testou mais possibilidades. Primeiro, integrou a Orquestra Imperial, combo carnavalesco que contava com nomes como Nina Becker, Wilson das Neves, Nelson Jacobina e muitos outros. Em seguida, veio o trio indie Little Joy, formado com Fabrizio Moretti (Strokes) e Binki Shapiro, que deixou apenas um registro em disco e sumiu.

Ainda tentando se afastar do fantasma de Ana Júlia e de sua antiga banda, foi só em 2013 que Amarante assumiu, de fato, a carreira solo e lançou o disco Cavalo. Obra de tom tristonho e melancólico, o álbum será apresentado na íntegra, esta noite, no Órbita. “Um ano depois de ter tocado pela primeira vez ao vivo as músicas do Cavalo no Brasil, ano que me levou a mais de 20 países – muitos mais de uma vez –, é com muita alegria que volto esse mês pra mais uma série de apresentações na minha terra natal. A saudade é grande”, anunciou o artista em carta enviada para a imprensa.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=KbzzvMSLMYk[/youtube]

Em partes, essa saudade é explicitada nas 11 faixas do disco. Compostas e gravadas durante o autoexílio em Los Angeles, as canções são cheias de vazios, carregadas de tons claros e transpiram certa solidão. Ou, solitude, como ele prefere descrever. Entre baladas arrastadas, como Nada em vão, e experiências eletrônicas mais agitadas, como Hourglass, Cavalo chegou sem hits óbvios para testar a devoção daqueles admiradores que o conheceram no fim da década de 1990. Para quem aprovou, vale destacar momentos de extrema beleza, como Irene. O clima intimista e experimental rendeu comparações com Sou, estreia solo de Marcelo Camelo, que foram categoricamente ignoradas pelos ex-parceiros.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=15JeprjhuRs[/youtube]

Na turnê que passa por Fortaleza, Cavalo conta com o reforço de Todd Dahlhoff (baixo e teclados), Matt Borg (guitarra) e Mathew “Cornbread” Compton (bateria). “No palco somos os quatro, oito mãos ocupadas a traduzir o disco tão próximo à gravação quanto possível”, explica Amarante, que além das canções do disco, adianta algumas inéditas e resgata sua primeira composição pós-Los Hermanos. Evaporar foi lançada em Lanny Duos, disco de duetos do guitarrista Lanny Gordin, e, em seguida, escolhida para encerrar o único trabalho do Little Joy. Já os fãs dos Hermanos vão ter que esperar ouvir as canções que marcaram a história do quarteto. Por enquanto, ele deixa o legado da banda em suspenso para cuidar de uma nova estrada que está sendo construída.

Serviço:
Cavalo – Rodrigo Amarante
Quando: sexta-feira (21), às 21h
Onde: Órbita Bar (R. Dragão do Mar, 207 – Praia de Iracema)
Quanto: R$ 35. À venda Bilheteria Virtual (internet e Del Paseo) e no local
Outras informações: 3453.1421