Layout

Associação Beija Flor inicia Projeto Primeiro Sorriso, em Sobral

Associação Beija Flor (ABF), juntamente com a Smile Train e em parceria com o Hospital Santa Casa de Misericórdia de Sobral realizam entre os dias 24 e 27 de maio, em Sobral, o projeto Primeiro Sorriso.

A ideia é levar para o interior do Ceará o atendimento as pessoas com fissura labiopalatina (popularmente conhecida como lábio leporino), que hoje é realizado somente em Fortaleza pelo Hospital Infantil Albert Sabin e Associação Beija Flor, descentralizando o atendimento na Capital.

 

O atendimento a pessoas com fissura labiopalatina será gratuito. Os interessados passarão por uma triagem, que será realizada a partir das 8 horas do dia 24 de maio, na própria unidade de saúde onde a iniciativa acontecerá. A partir deste momento, eles serão contemplados com consultas de diferentes profissionais que atuam no tratamento desta má formação, e poderão inclusive ser beneficiados com cirurgias corretivas que serão feitas ao longo da ação.

 

Serão realizados 100 atendimentos ambulatoriais e 25 cirurgias, no Hospital Santa Casa de Misericórdia de Sobral, por uma equipe multidisciplinar composta por dentistas, fonoaudiólogos, cirurgiões gerais, cirurgiões plásticos, anestesistas, assistentes sociais e enfermeiros.

 

Profissionais ou acadêmicos da área de saúde que desejarem expandir seus conhecimentos sobre o tratamento de pacientes com fissura labiopalatina poderão acompanhar de perto todas as atividades relativas ao Projeto. Para isso devem participar de seleção por meio de uma inscrição através do telefone: (88) 99733.2929 | (88)99907. 5558 ou do email: cadastrobeijaflor@gmail.com. Desta forma, poderão acompanhar os ambulatórios, cirurgias, entre outros.

 

Atualmente, a cada 650 crianças que nascem no Brasil, uma vem ao mundo com lábio leporino, que é uma má formação que ocorre durante a gestação. Alguns fatores de risco são conhecidos, como exposição à radiação ou certos medicamentos na gravidez e histórico familiar. Mas a ciência ainda investiga as possíveis mutações genéticas por trás do problema. No Ceará são 13.000 pacientes por ano.

Segundo o Co-fundador da Associação Beija Flor, José Ferreira há hoje em torno de 3000 pacientes em tratamento. “Realizamos em média 360 cirurgias por ano, no Ceará, mas precisaríamos realizar 1200 por ano, para termos a demanda controlada. Em média cada paciente precisa de três cirurgias para a reabilitação, além do acompanhamento durante todo crescimento, até os 21 anos. Se não realizar as cirurgias e o tratamento clínico adequado, o paciente fica sequelado por toda vida”, afirma o cirurgião.

 

Para a Diretora da Smile Train na América do Sul, Mariane Manfredini Goes a parceria com a Associação Beija Flor no Projeto Primeiro Sorriso é fortalecer relacionamentos entre grupos que possuem o mesmo objetivo e oferecer o melhor tratamento a pacientes carentes que não poderiam se beneficiar de resultados de qualidade com segurança.

 

Associação Beija Flor –  entidade sem fins lucrativos, criada desde 2001 por profissionais voluntários, que surgiu do desejo de transformar a vida de pessoas que nasceram com fissura labiopalatina, popularmente conhecida como lábio leporino, uma má formação congênita que se manifesta ainda na gestação, na etapa inicial do desenvolvimento do embrião. Atualmente, são realizados mais de 250 atendimentos por mês com pacientes de todo o Ceará e até mesmo de outros estados. Com uma equipe multidisciplinar, formada por profissionais especializados em deformidades craniofaciais, a Associação acolhe gratuitamente crianças, jovens e adultos que buscam atendimento na esperança de um dia poder sorrir naturalmente.  Por acreditar que todos têm direito a uma vida digna, a entidade realiza ações de acolhimentos para dar o melhor a estas crianças que merecem não só belos sorrisos, mas acima de tudo, o bem estar emocional, afetivo e psicológico. Através de doações a instituição busca reescrever estas histórias que podem sim ter um final feliz!

Smile Train – no Brasil desde 1999, a Smile Train tem a missão de permitir que crianças nascidas com fissuras de lábio e palato tenham as mesmas oportunidades de uma criança sem esta condição. A organização sem fins lucrativos oferece cirurgias de fissuras gratuitas ao redor do mundo. Presente em mais de 85 países, a organização une diferentes origens e culturas em prol da solidariedade a crianças e a dultos que não teriam condições de arcar com os custos do tratamento.

A Smile Train treina médicos e profissionais da área médica, apresentando as técnicas mais recentes e modernas na cirurgia de fissura, que dura somente 45 minutos, através de ferramentas educacionais e tecnológicas. A equipe médica recebe suporte contínuo da organização para que os pacientes encontrem em um local próximo a sua comunidade tratamento de alta qualidade.

Em 2015 a Smile Train alcançou a marca de 20 mil cirurgias. Esse aumento só foi possível graças aos 70 cirurgiões e 32 parceiros – hospitais e fundações médicas -, espalhados por 18 estados brasileiros. Estima-se que no país 4.300 crianças nascem com fissuras todos os anos.

Recomendado para você