Plínio Bortolotti

“Resistir é preciso”: livro/DVD traz depoimento de jornalistas que fizeram a imprensa alternativa nos anos 1970/80

Clique para ampliar

O Instituto Vladimir Herzog, com apoio da Petrobras, acaba de lançar um importante livro – acompanhado de 12 DVDs – indispensável quem quiser conhecer melhor a história da imprensa alternativa no Brasil, no período da ditadura militar.

Resistir é preciso – A imprensa alternativa, clandestina e no exílio, no período 1964/1979 (do golpe à anistia), traz o depoimento de 60 protagonistas do jornalismo de resistência. No total, foram 100 horas de gravação, editadas nos DVDs, com a média de 10 minutos para cada entrevista. Quem quiser a íntegra dos depoimentos pode pedi-los pelo e-mail: (protagonistas@vladimirherzog.org). Segundo os organizadores, esta é a primeira etapa do projeto, que terá continuidade.

Protagonistas

O livro traz um histórico dos principais jornais alternativos e um pequeno perfil de cada entrevistado. Entre os impressos alternativos, cujos jornalistas que os fizeram deixaram o seu depoimento estão: O Pasquim, Movimento, Opinião, Coojornal (RS), Versus, Em Tempo, Lampião da Equina (o primeiro jornal assumidamente homossexual), Varadouro (AC), Nós Mulheres, Mulherio, entre outros. Além de jornais do movimento estudantil e da imprensa dos trabalhadores.

Como tê-lo

Não sei onde o livro pode adquirido, nem mesmo sei se será vendido em livrarias, já que se trata de um projeto do Instituto Vladimir Herzog, creio que no próprio instituto (link e e-mails acima) poder-se-á obter informações. O meu, eu ganhei do jornalista Sérgio Gomes, da Oboré, a quem fiz um agradecimento pessoal e a agora o faço de público.

Recomendado para você