Política

Leonelzinho envia SMS destacando ser “candidato e ficha-limpa”

119 6
Segundo Leonelzinho, mensagem esclarece "peseguições" de opositores (Foto: Reprodução/Facebook)

Segundo Leonelzinho, mensagem esclarece “peseguições” de opositores (Foto: Reprodução/Facebook)

Após superar questionamentos do Ministério Público e obter registro de candidatura, o ex-vereador Leonelzinho Alencar (Pros) está enviando mensagens para eleitores garantindo ser “ficha-limpa” e pedindo votos na eleição deste ano. Nas mensagens, enviadas para celulares via SMS, o candidato destaca: “Sou candidato, sou ficha limpa! Conto com seu voto e apoio”.

Em mensagem publicada em sua página do Facebook, Leonelzinho destaca que a mensagem busca “desmentir os inimigos políticos” que estariam o perseguindo. Em agosto, o ex-vereador teve candidatura questionada pelo MP Eleitoral, mas acabou obtendo registro na Justiça Eleitoral.

Superado o questionamento, Leonelzinho tem mantido intensa agenda de campanha, divulgada em sua página de Facebook. Em uma das postagens, ele afirma já ter firmado, pessoalmente, mais de cem bandeiras de apoio à sua candidatura em casas de eleitores. Ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ex-vereador declarou, até agora, ter captado R$ 2,5 mil para sua campanha.

Afastado do cargo em 2015 em meio a uma investigação sobre supostos desvios da Verba de Desempenho Parlamentar (VDP) da Câmara Municipal, Leonelzinho acabou renunciando meses depois, na véspera da abertura de processo que poderia cassar seu mandato. O vereador acumula polêmicas no currículo, como caso quando sua então esposa foi acusada de fazer saques do Programa Bolsa Família.

Candidatura questionada

Em sua argumentação, o promotor Ricardo Memória destacava dispositivo da Lei da Ficha Limpa que prevê inelegibilidade para parlamentares que abdicam do mandato com o objetivo de escaparem da cassação.

Na época da renúncia, Leonelzinho afirmou que abdicava do cargo para “preservar a imagem da Câmara”. O promotor, no entanto, questiona o argumento: “Este certamente não foi o real motivo de sua renúncia, tanto que pretende retornar àquela casa legislativa pouco tempo depois, o que denota que seu objetivo era tão somente elidir a cassação”, diz.

Leonelzinho é alvo de desdobramentos da mesma operação que levou à renúncia de outro vereador – A Onde É – que também pode ser alvo de impugnação. Desde 2013, o MP apura desvios da Verba de Desempenho Parlamentar (VDP) e prática da “rachadinha” – retenção do salário de assessores – na Câmara.

Assim como no caso A Onde É, Leonelzinho renunciou dias antes de a Casa votar relatório pela abertura de processo de cassação do seu mandato. Na época, diversos vereadores disseram ao O POVO que sua situação na Casa era “insustentável” e que ele seria cassado.

Recomendado para você