Política

Wagner responde RC: “A experiência que ele tem, eu não quero ter”

322 24
Wagner rebate críticas a suas propostas (Foto: Divulgação / AL-CE)

Wagner rebate críticas a suas propostas (Foto: Divulgação / AL-CE)

O candidato à Prefeitura de Fortaleza Capitão Wagner (PR) respondeu acusações do adversário Roberto Cláudio (PDT) de que prometer corte de cargos comissionados seria “sinal de inexperiência”. “A experiência que ele tem eu não quero ter realmente, não”, afirmou.

De acordo com o prefeito, dois terços dos cargos comissionados são ocupados por diretores de escolas, de postos de saúde e coordenadores pedagógicos. Wagner contestou. “Ele aumentou em 1.500, 1.600 cargos, então houve um aumento muito grande, enquanto antes a Luizianne conseguia administrar sem tantos cargos comissionados. Com 2700 cargos comissionados, eu acho que dá pra gente administrar sem qualquer dificuldade”.

Wagner propõe cortar dois mil cargos comissionados caso seja eleito. “O discurso dele tem que ser esse de manter (os cargos) porque a máquina está inchada, são 15 partidos, e agora chegou um bocado de outros partidos para apoiar, e eles vão cobrar a fatura. Ele vai ter que manter ou até aumentar o número de cargos comissionados e de benesses pra todos esses partidos”, acusou.

Além disso, Wagner promete congelar o salário do prefeito e dos secretários municipais durante os quatro anos de gestão e cortar carros oficiais. Em entrevista ao vivo na página do O Povo Online na manhã desta quinta-feira, 13, RC afirmou que isso é “história do faça o que eu digo, não faça o que eu faço”. “O meu opositor anda em carro alugado da Assembleia, podia muito bem dar o exemplo cortando o aluguel”, disse.

Em resposta, o outro candidato disse que o prefeito “está desatualizado”. “Desde abril que eu não utilizo carro da Assembleia, e, na verdade, quem usava era equipe, que tem que atender uma demanda de todo o Estado do Ceará e sem veículo não dá. Em Fortaleza a situação é diferente, a gente vai cortar os carros de secretários e o do prefeito”.

“Eu acho que com as regalias que existem você não precisa ter um salário tão alto, já existe muita facilidade pro prefeito, esses privilégios podem ser reduzidos”, argumentou Wagner.

 

 

 

Recomendado para você