Política

Justiça determina indisponibilidade de bens do deputado estadual Jeová Mota

Ex-prefeito de Tamboril e deputado estadual Jeová Mota teve o sigilo bancário quebrado pela Justiça (FOTO: Divulgação / AL-CE)

O juiz substituto da Comarca de Tamboril, Cristiano Sanches de Carvalho, determinou, em caráter liminar, a quebra do sigilo bancário e a indisponibilidade dos bens do deputado estadual e ex-prefeito do município Jeová Mota (PDT). Outras 17 pessoas, entre servidores públicos e empresários, também foram alvo da decisão do último dia 11 de dezembro.

Determinação judicial é resultado de denúncia da promotora de Justiça da Comarca de Tamboril, Lívia Cristina Araújo e Silva. Eles são acusados de enriquecimento ilícito, através de fraude de licitações para a realização de festas na cidade. O montante é de R$  3.996.360,00. Segundo a promotora, a investigação teve início em 2012.

Os investigados podem ser penalizados por improbidade administrativa, cujas sanções são a suspensão dos direitos políticos, a perda da função pública, a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário.

Os outros envolvidos, além do deputado, os servidores públicos Nílton Sampaio Cavalcante e Gílson Luiz Souto Mota; os empresários Francisco do Carmo Filho e  Francisca Jéssyca do Carmo de Castro; a sócia-administradora da pessoa jurídica Adélia Soares do Carmo; e a empresa Francisco do Carmo Filho Publicidades.

O outro lado

O Blog Política  não conseguiu entrar em contato com o deputado estadual Jeová Mota nem localizar os outros envolvidos.