Sincronicidade

Então lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” (Mt 16,15)

O caminho da história tende à divinização do homem; esta, preparada pela Encarnação de Deus, decretada desde o início como fundamento de todas as coisas e historicamente completada na plenitude dos tempos, terá como termo a restauração da semelhança divina no homem, a deificação do homem. Esta, atualizada com a caridade; de fato, por meio da caridade a vontade do homem se assimila à de Deus e faz uma só coisa com ela…

Ora, esta assimilação da vontade humana à vontade divina é antes de tudo realizada em Cristo. Nele as duas vontades existem distintamente; mas a vontade humana, fisicamente distinta da vontade divina, é inteiramente subordinada a esta até o ponto de fazer moralmente uma só coisa com ela…

São Máximo, o Confessor

[Citado em: Sgarbossa, Mario. Os santos e os beatos da Igreja do Ocidente e do Oriente: com uma antologia de escritos espirituais. Tradução Armando Braio Ara. – São Paulo: Paulinas, 2003, p. 360.]